Um estudo discursivo sobre o modo de abordagem do humor por livros didáticos de inglês

Autores

  • Ilka de Oliveira Mota ilkamotaeducacao@gmail.com
    Universidade Federal de São Carlos (UFSCAr)

Palavras-chave:

Humor, inglês, livro didático

Resumo

Baseados na perspectiva discursiva da linguagem, na interface com a psicanálise freudiana, apresentamos alguns dos resultados de nossa pesquisa de doutoramento. Analisamos o modo como dois Livros Didáticos (LDs) de inglês da década de 90 abordam o humor. Com base na análise empreendida, observamos uma tendência de os LDs apagarem os efeitos de humor e suas condições de produção em razão do modo de sua abordagem, modo esse que tende a eliminar a piada, a ambiguidade, o duplo sentido. Disso resulta no apagamento dos aspectos culturais e discursivos constitutivos do campo da comicidade, o que traz sérias implicações para o ensino-aprendizagem de inglês e para a constituição da subjetividade. Esse apagamento corrobora o imaginário de que o humor é uma mera brincadeira que não envolve um exercício intelectual. 

Biografia do Autor

Ilka de Oliveira Mota, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAr)

Doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora adjunto IV da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAr),  campus Lagoa do Sino.

Referências

AUROUX, S. A Revolução Tecnológica da Gramatização. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. 120 p

EAGLETON, T. A ideologia da estética. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 1993.

FERREIRA, M. C. L. Da ambiguidade ao equívoco: a resistência da língua nos limites da sintaxe e do discurso. Porto Alegre: Editora da Universidade do Rio Grande do Sul, 2000.

FREUD, S. El Chiste e su Relación con lo Inconciente. In: Obras Completas, volumen 8. Traducción directa del alemán de José L. Etcheverry. Buenos Aires: Amorrortu. 2. ed., 1. reimpressão, 1905/1989.

ORLANDI, E. Análise de discurso – princípios e procedimentos. Campinas: Editora Pontes, 1999.

PÊCHEUX, M. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1988.

PERUCHI, I.; CORACINI, M. J. R. O discurso da cultura e a questão da identidade em livros didáticos de francês como língua estrangeira. In: CORACINI, Maria José R. (Org.) Identidade e discurso. Campinas: Editora da Unicamp; Chapecó: Argos Editora Universitária, 2003. p. 363-385.

RAMOS, R. C. G. O livro didático de língua inglesa para o ensino fundamental e médio: papéis, avaliação e potencialidades. In: DIAS, Reinildes; CRISTÓVÃO, Vera Lúcia Lopes (Org.). O livro didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009. p. 173- 198

SOUZA, D. M. Autoridade, autoria e livro didático. In: CORACINI, Maria José R. (Org.). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. Campinas: Pontes, 1999. p. 27-31.

JELIN, I. English: a high school coursebook. São Paulo, SP: FTD, 1995.

SIQUEIRA, R da S. N. Magic Reading. Book 4. São Paulo, SP: Editora Saraiva, 1997.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

MOTA, I. de O. Um estudo discursivo sobre o modo de abordagem do humor por livros didáticos de inglês. Polifonia, [S. l.], v. 24, n. 35/1, p. 132–145, 2017. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/2986. Acesso em: 24 jul. 2024.