Sala de Aula Invertida e Rotação por Estações

Metodologias ativas em pauta na formação contínua de professores

Autores

  • Mateus Esteves de Oliveira polifoniapa@gmail.com
    Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Claudia Leão de Carvalho Costa polifoniapa@gmail.com
    Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)
  • Renato de Oliveira Dering polifoniapa@gmail.com
    Centro Universitário de Goiás (UNIGOIÁS)

Resumo

Temos ciência de que o contexto pandêmico exigiu estratégias e ações em todas as esferas profissionais, sobretudo na educação, em virtude da transposição das atividades do ambiente presencial para o virtual. Tal situação levou professores a buscarem metodologias de ensino que mantenham as interações com seus alunos e, assim, desenvolver a autonomia deles em relação às atividades escolares. Nosso objetivo foi apresentar as metodologias ativas como temáticas expressivas na formação contínua de professores e as suas possibilidades de aplicação nos ensinos remoto e presencial por meio das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação. Nesse sentido, abordamos uma pesquisa qualitativa (MINAYO, 2001), realizada em uma turma de pós-graduação strictu sensu de um Programa de Pós-Graduação na área de Letras de Minas Gerais, formada por educadores em condição de profissionais em formação ao longo da vida, que se ampara como base o estudo das metodologias ativas Sala de Aula Invertida e Rotação por Estações. Nosso referencial teórico se alinha ao adotado pela disciplina (BACICH, MORAN, 2018; BERGMANN; SANS, 2020). A partir da análise das respostas obtidas, em diálogo com a bibliografia selecionada, foi possível concluir que os participantes, mesmo em ambiente incerto e pandêmico, procuram, por meio das metodologias ativas, novas maneiras de manter e de intensificar a relação com os estudantes e a aprendizagem deles.

Referências

BACICH, Lilian; MORAN, José (Orgs.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem téorico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BERGMANN, Jonathan; SAMS, Aaron. Sala de Aula Invertida: Uma Metodologia Ativa de Aprendizagem. 1. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2020.

GONÇALVES, M. I. R. Comunidade cooperativa de aprendizagem em rede. Boletim Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. 32, n. 2, maio/ago. 2006. Disponível em:<http://www.bts.senac.br/index.php/bts/article/view/319/302>. Acesso em:20 mar. 2015.

HORN, M. B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

MORAN, José. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: MORÁN, José. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2, n. 1, p. 15-33, 2015.

OLIVEIRA, Mateus Esteves de. Formação ao longo da vida na docência: narrativas que evidenciam agenciamentos do professor rumo à consolidação de competências profissionais. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET-MG, 2019. Disponível em: https://sig.cefetmg.br/sigaa/public/programa/defesas.jsf?lc= pt_BR & id=307. Acesso em: 02 de ago. de 2020.

OLIVEIRA, Maria Izabel; PESCE, Lucila. Emprego do modelo rotação por estação para o ensino de língua portuguesa. Teccogs: Revista Digital de Tecnologias Cognitivas, n. 16, 2017.

PARREIRAS, Vicente Aguimar. “Dinâmica interacional” para gerenciamento de aprendizagem de língua estrangeira baseada na teoria da complexidade. In: MAIA, Francisca Paula Soares; MENDES, Regina Maria Gonçalves (Orgs.), Ensino e aprendizagem de línguas adicionais em foco. Roosevelt, NJ: Boavista Press, 2019. p.139-152.

PELIZZARI, Adriana et al. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC, v. 2, n. 1, p. 37-42, 2002.

STAKER, Heather; HORN, Michael B. Classifying K–12 blended learning. 2012.

SILVA, de Carvalho, Alexandre José; CRUZ, Sayonara Ribeiro Marcelino; SAHB, Warlley Ferreira. Metodologias ativas no Ensino Superior: uma proposta de oficina sobre aprendizagem por pares; sala de aula invertida; aprendizagem baseada em problema e rotação por estações de trabalho. Simpósio Tecnologias e Educação a Distância no Ensino Superior, v. 1, n. 1, 2018.

Downloads

Publicado

2023-01-23

Como Citar

OLIVEIRA, M. E. de . .; CARVALHO COSTA , C. L. de .; DERING , R. de O. . Sala de Aula Invertida e Rotação por Estações: Metodologias ativas em pauta na formação contínua de professores. Polifonia, [S. l.], v. 29, n. 53, p. 128–148, 2023. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/14864. Acesso em: 19 jun. 2024.