Análise de discurso crítica e estudos feministas

Um panorama das dissertações e teses produzidas no Brasil entre 2015 e 2019

Autores

  • Juliana Harumi Chinatti Yamanaka polifoniapa@gmail.com
    Universidade de Brasília (UnB)
  • Kleber Aparecido da Silva polifoniapa@gmail.com
    Universidade de Brasília (UnB)

Resumo

No presente estudo retrospectivo tivemos como objetivo mapear dissertações e teses produzidas no Brasil que se encontram na intersecção entre a Análise de Discurso Crítica e os Estudos Feministas. O período focalizado refere-se aos anos entre 2015 e 2019. Os trabalhos foram rastreados por meio do Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES. Do total de estudos sugeridos, foram identificadas 28 dissertações e 7 teses. Para a realização deste Estado da Arte, foram considerados os seguintes aspectos: a) distribuída a produção acadêmica considerando instituição de origem, região do país, grau acadêmico e financiamento, b) os objetos mais investigados, c) as teorias e os estudos frequentemente associados, d) os percursos metodológicos delineados, bem como e) algumas lacunas no panorama geral da produção científica. A partir do que foi acumulado e analisado, sinalizamos alguns desafios para o campo da Análise de Discurso Crítica e dos Estudos Feministas, bem como algumas reflexões para as pesquisadoras que desenham e constroem as pesquisas no Brasil.

Referências

BRASIL. Brasil - Catálogo de Teses e Dissertações da Capes, Dados das Teses e Dissertações da Pós-Graduação 2017 a 2020. Disponível em: <https://metadados.capes.gov.br/index.php/catalog/172>. Acesso em: 26 fev. 2021.

BULGACOV, S. .; VERDU, F. C. Redes de pesquisadores da área de administração: um estudo exploratório. Revista de Administração Contemporânea, v. 5, n. spe, p. 163–182, 2001.

CAMARGO, M. E. S. Teses e dissertações em análise do discurso na região Centro-Oeste: aspectos históricos discursivos. [s.l.] Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Dourados-MS., 2014.

FERREIRA, N. S. DE A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, v. 23, n. 79, p. 257–272, 2002.

HARAWAY, D. Saberes localizados. Science, n. 5, p. 07–41, 1995.

LAZAR, M. M. Feminist Critical Discourse Analysis : gender, power, and ideology in discourse. 1a ed. New York: Palgrave Macmillan, 2005.

OTTONI, M. A. R.; MAGALHÃES, I. Pesquisas em Análise de Discurso Crítica produzidas no Brasil de 2008 a 2017. Revista Latinoamericana de Estudios del Discurso, v. 20, n. 2, p. 112–132, 2020.

PEDROSA, C. E. F.; CRUZ, R. Análise Crítica do Discurso: mapeando pesquisas de aplicações pedagógicas em sala de aula. Anais do Congresso Brasileiro de Linguística Aplicada. Rio de Janeiro, 2012.

PINTO, J. P. O lugar do corpo nas práticas identitárias linguísticas. Seminário Internacional: Enfoques Feministas e o Século XXI: Feminismo e Universidade na América Latina. Anais...Salvador: UFBA, 2005. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/298/o/Artigo_Salvador_Joana_Plaza_Pinto_2005.pdf

PRAH, K. K. Decolonizando as ciências humanas na África pela soberania intelectual. In: RESENDE, V. D. M. (Ed.). . Decolonizar os estudos críticos do discurso. Campinas: SP: Pontes Editores, 2019. p. 202.

RAMOS, A. Pós-graduação, construção de curso e conjuntura brasileira: breves reflexões. Revista Katálysis, v. 20, n. 2, p. 245–252, 2017.

ROCHA, D.; DAHER, D. C. Afinal, como funciona a linguística aplicada e o que pode ela se tornar? D.E.L.T.A., v. 31, n. 1, p. 105–141, 2015.

SANT’ANA, R. B. O trabalho em redes e grupos de colaboração em pesquisa: desafios contemporâneos. PERSPECTIVA, v. 33, n. 3, p. 1143–1162, 2015.

SANTIAGO, M. DE O., AFFONSO, F., DIAS, T. M. R. Scientific production of women in Brazil. Transinformação, v. 32, 2020.

YAMANAKA, J. H. C. Do “corpo falado” à “fala corporificada”: a compreensão das convergências de estruturas de poder para repensar a Linguística Aplicada. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 19, n. 4, p. 825–848, 2019.

Downloads

Publicado

2023-01-23

Como Citar

CHINATTI YAMANAKA , J. H. .; SILVA, K. A. da . Análise de discurso crítica e estudos feministas: Um panorama das dissertações e teses produzidas no Brasil entre 2015 e 2019. Polifonia, [S. l.], v. 29, n. 53, p. 79–100, 2023. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/14860. Acesso em: 19 jun. 2024.