A FLORA MEDICINAL DOS QUINTAIS DE TANGARÁ DA SERRA, MATO GROSSO, BRASIL

Autores

  • Rogério Pinto de Moura Moreira
  • Germano Guarim Neto

Resumo

Este estudo tem como objetivo realizar a investigação do etnoconhecimento cultural e social de moradores do município de Tangará da Serra, a respeito do conhecimento ecológico tradicional que detêm sobre o uso e manejo dos vegetais presentes em seus lares, com base fortemente ligada às percepções. Tratando de uma pesquisa com caráter eminentemente qualitativa utilizou-se de entrevistas para coleta dos dados. As informações dos respectivos quintais e dos moradores foram obtidas por meio de entrevistas com a utilização de formulários com perguntas abertas e semiestruturadas. Foram entrevistados 54 moradores residentes da área urbana, sendo que a faixa etária dos informantes variou de 18 a 89 anos de idade, sendo que 85% dos informantes foram mulheres. Durante as visitas aos quintais estudados, foram encontradas e identificadas 93 espécies botânicas, distribuídas em 47 famílias. As plantas com maior representatividade incluem-se nas famílias Lamiaceae com 12 espécies e Asteraceae com 7. Nesse estudo, a parte da planta mais utilizada no preparo dos remédios caseiros foi à folha (59 indicações), e a forma de preparo foi através do uso de chás. Neste cenário ficou evidente uma forte aproximação entre homem-planta, relações estas que proporcionam boa qualidade de vida, segurança e cuidados alimentares.

Biografia do Autor

Rogério Pinto de Moura Moreira

Mestre em Ecologia e Conservação da Biodiversidade, UFMT

Germano Guarim Neto

Dr. Orientador Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus de Cuiabá.

Downloads