Emprego de maravalhas de Eucalyptus na produção de painéis: uma alternativa para aproveitamento dos resíduos oriundos da usinagem da madeira

Authors

  • Douglas Lamounier Faria Universidade Federal de Lavras / Doutorando em Engenharia de Biomateriais https://orcid.org/0000-0002-5405-8430
  • Thamirys Andrade Lopes Universidade Federal de Viçosa (UFV) - Doutoranda em Ciências Florestais
  • Daiane Erika Lopes Universidade Federal de Lavras / Graduanda em Ciências Biológicas (Licenciatura)
  • Bruno Cassiano Lemos Araújo Graduando em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras
  • Gustavo Mesquita de Castro Graduando em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras
  • Lourival Marin Mendes Universidade Federal de Lavras / Departamento de Ciências Florestais
  • José Benedito Guimarães Junior Universidade Federal de Lavras / Departamento de Engenharia

DOI:

10.34062/afs.v7i3.9895

Keywords:

Resistência mecânica, Estabilidade dimensional, Painéis de madeira reconstituída.

Abstract

O objetivo deste trabalho foi avaliar as propriedades físicas e mecânicas de chapas de madeira aglomerada utilizando partículas oriundas de maravalhas a três teores de adesivo fenol-formaldeído, 6, 9 e 12% (base massa seca). Os painéis foram produzidos com densidade nominal de 0,70 g.cm-3, ciclo de prensagem com temperatura de 160 °C, pressão de 3,92 MPa e tempo de 8 minutos. Foram avaliadas as propriedades de absorção de água (AA), inchamento em espessura (IE), ambas após 2 e 24 horas, densidade aparente, razão de compactação, tração perpendicular, módulo de elasticidade (MOE) e módulo de ruptura (MOR) na flexão estática e resistência ao arranchamento de parafuso. Os resultados dos testes indicaram que com o aumento do teor de adesivo de 6 para 12%, não houve diferença estatística significativa para os valores médios de densidade aparente e razão de compactação, sendo eles 0,624 g.cm-3 e 1,234, respectivamente, e diminui-se a AA e o IE após 2 e 24 horas. Houve um ganho de 49% para MOR e 40% para MOE. Para tração perpendicular, os maiores valores médios foram referentes ao painel com 12% de adesivo. Já para arrancamento de parafuso, os painéis não atenderam às normas vigentes.

Author Biographies

Douglas Lamounier Faria, Universidade Federal de Lavras / Doutorando em Engenharia de Biomateriais

Engenheiro Civil, Mestre em Engenharia de Biomateriais, atualmente Doutorando em Engenharia de Biomateriais - linha Compósitos e Nanocompósitos lignocelulósicos, Departamento de Ciências Florestais - Universidade Federal de Lavras.

Thamirys Andrade Lopes, Universidade Federal de Viçosa (UFV) - Doutoranda em Ciências Florestais

Universidade Federal de Viçosa (UFV) - Doutoranda em Ciências Florestais

Daiane Erika Lopes, Universidade Federal de Lavras / Graduanda em Ciências Biológicas (Licenciatura)

Universidade Federal de Lavras / Graduanda em Ciências Biológicas (Licenciatura)

Bruno Cassiano Lemos Araújo, Graduando em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras

Graduando em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras

Gustavo Mesquita de Castro, Graduando em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras

Graduando em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras

Lourival Marin Mendes, Universidade Federal de Lavras / Departamento de Ciências Florestais

Universidade Federal de Lavras / Departamento de Ciências Florestais

José Benedito Guimarães Junior, Universidade Federal de Lavras / Departamento de Engenharia

Universidade Federal de Lavras / Departamento de Engenharia

References

Amaral D, Zaú AS, Gama DC, Albuquerque E, Silva FJ (2018) Aproveitamento de resíduo madeireiro em um município amazônico. Biodiversidade, 17(2):22- 33.

American National Standard Institute (2009) Mat-formed wood particleboard: specification ANSI A 208.1. Leesburg: Composite Panel Association, 13 p.

American Society for Testing and Materials (2012) Annual book of ASTM: D-1037: Standard methods of evaluating properties of wood-base fiber and particles materials. Philladelphia, 31p.

American Society for Testing and Materials (1996) ASTM D 143-94: methods of testing of small clear specimens. [S.l.].

Andrade LMF, Scatolino MV, Faria DL, César AA, Mendes LM, Guimarães Junior JB (2018) Inclusão do resíduo de polpação da celulose na produção de painéis aglomerados de média densidade. Scientia Forestalis, 46(120). doi: dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n120.11

Associação Brasileira de Normas Técnicas (2018) NBR 14810: Painéis de partículas de média densidade Parte 2: Requisitos e métodos de ensaio. 71 p.

Baldin T, Silveira AG, Vidrano BRA, Cancian LC, Spatt LL, Haselein CR (2016) Qualidade de aglomerados produzidos com diferentes proporções de madeira e capim-annoni. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 11(3):230-237. doi:10.5039/agraria.v11i3a5376

Brito EO, Sampaio LC, Oliveira JN, Batista DC (2006) Chapas de madeira aglomerada utilizando partículas oriundas de madeira maciça e de maravalhas. Scientia Forestalis, (72):17-21.

Cerqueira PHA, Vieira GC, Barberena IM, Melo LC, Freitas LC (2012) Análise dos resíduos madeireiros de Eunápolis – BA. Floresta e Ambiente, 19(4):506-510. doi: 10.4322/floram.2012.051

Commercial Standard (1968) CS 236-66: mat formed wood particleboard. [S.l.].

Cunha AB, Longo BL, Rodrigues AA, Brehmer DR (2014) Produção de painéis de madeira aglomerada de Eucalyptus benthamii, Eucalyptus dunnii e Eucalyptus grandis. Scientia Forestalis, 42(102):259-267.

Dacosta LPE, Haselein CR, Santini EJ, Schneider PR, Calegari L (2006) Propriedades físicas de chapas de partículas aglomeradas fabricadas com resíduos do processamento mecânico da madeira de Pinus elliotii Engelm. Ciência Florestal, 15(4):421-429. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981879

Deutsches Institut fur Normung (1982) DIN 52362: Testing of wood chipboards, bending test, determination of bending strength. Berlin, 40 p.

European Standard (2003) EN 312: particleboards: specifications. British Standard Institution, London, 22p.

Guimarães Junior JB, Xavier MM, Santos TS, Protásio TP, Mendes RF, Mendes LM (2016) Inclusão de resíduo da cultura de sorgo em painéis aglomerados de eucalipto. Pesquisa Florestal Brasileira, 36(88):435- 442. doi: https://doi.org/10.4336/2016.pfb.36.88.1036

Indústria Brasileira de Árvores - IBÁ. Anuário 2017: ano base 2017. São Paulo: Ibá, 2017. 80 p.

Iwakiri S, Vianez BF, Weber C, Trianoski R, Almeida VC (2012) Avaliação das propriedades de painéis aglomerados produzidos com resíduos de serrarias de nove espécies de madeiras tropicais da Amazônia. Acta Amazonica, 42(1):59-64. doi: 10.1590/S0044-59672012000100007

Iwakiri S, Cunha AB, Albuquerque CEC, Gorniak E, Mendes LM (2000) Resíduos de serrarias na produção de painéis de madeira aglomerada de eucalipto. Scientia Agraria, 1(1-2):23-28. doi: 10.5380/rsa.v1i1.963

Maloney TM (1993) Modern particleboard & dry-process fiberboard manufacturing. Backbeat.

Melo LEL, Silva CJ, Lopes KV, Brito PGM, Santos IS (2012) Resíduos de serraria no Estado do Pará: Caracterização, quantificação e utilização adequada. Floresta e Ambiente, 19(1):113-116. doi: 10.4322/floram.2012.012

Mendes RF, Mendes LM, Guimarães Junior JB, Santos RC, César AAS (2012) Efeito da associação de bagaço de cana, do tipo e do teor de adesivo na produção de painéis aglomerados. Ciência Florestal, 22(1):161-170. doi: 10.5902/198050985088

Mendes RF, Mendes LM, Abranches RAS, Santos RC, Guimarães Junior JB (2010) Painéis aglomerados produzidos com bagaço de cana e madeira de Eucalipto. Scientia Forestalis, 38(86):285-295.

Merry F, Soares-Filho B, Nepstad D, Amacher G, Rodrigues H (2009) Balancing conservation and economic sustainability: The future of the Amazon timber industry. Environmental Management, (44):395-40.

Moslemi AA (1974) Particleboard. Illinois: Southern Illinois University Press. 244p.

Oliveira SL, Mendes RF, Mendes LM, Freire TP (2016) Particleboard panels made from sugarcane bagasse: characterization for use in the furniture industry. Materials Research, 19(4):914-922. doi: 10.1590/1980-5373-MR-2015-0211

Pedrazzi C, Haselein CR, Santini EJ, Schneider PR (2006) Qualidade de chapas de partículas de madeira aglomerada fabricadas com resíduos de uma indústria de celulose. Ciência Florestal, 16(2):201-212. doi: http://dx.doi.org/10.5902/198050981899

Rachtanapun P, Sattayarak T, Ketsamak N (2012) Correlation of density and properties of particleboard from coffee waste with urea–formaldehyde and polymeric methylene diphenyl diisocyanates. Journal of Composite Materials, 46:1839-1850. doi: 10.1177/0021998311426624

Rios PD, Pereira GF, Vieira HC, Grubert W, Cunha AB, Brand MA (2016) Avaliação do potencial da madeira de Pinus patula Schltdl. & Cham para a produção de painéis de madeira aglomerada. Scientia Forestalis, 44(110):497-508.

Santos RC, Mendes LM, Mori FA, Mendes RF (2008) Aproveitamento de resíduos da madeira de candeia (Eremanthus erythropappus) para produção de painéis cimento-madeira. Cerne, 14(3):241-250.

Santos RC, Mendes LM, Mori FA, Mendes RF (2009) Chapas de partículas aglomeradas a partir de resíduos gerados após a extração de óleo da madeira de candeia (Eremanthus erytropapus). Scientia Forestalis, 37(84):437-446.

Silva GA, Mendes LM, Calegário N, Mori FA, Silva JRM, Santos IF (2006) Estimativa de umidade de equilíbrio de painéis de madeira. Scientia Forestalis, (70):23-29.

Soares SS, Guimarães Junior JB, Mendes LM, Mendes RF, Protásio TP, Lisboa FJN (2017) Valorização do bagaço de cana-de-açúcar na produção de painéis aglomerados de baixa densidade. Ciência da Madeira, 8(2):64-73. doi: 10.12953/2177-6830/rcm.v8n2p64-73

Published

2020-11-03