MULHERES NA INDÚSTRIA TÊXTIL FORMAL CEARENSE – 2000/2007/2014

Autores

  • Priscila de Souza Silva Universidade Regional do Cariri - URCA
  • João Gomes da Silva Universidade Regional do Cariri - URCA
  • Walas Wedel Martins de Santana Universidade Regional do Cariri - URCA
  • Silvana Nunes de Queiroz Universidade Regional do Cariri - URCA

DOI:

10.19093/res4474

Palavras-chave:

Mulheres, Indústria Têxtil, Ceará.

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar a evolução recente da participação feminina e masculina na indústria têxtil formal cearense, nos anos 2000, 2007 e 2014. Para tanto, traça-se o perfil sociodemográfico e socioeconômico das trabalhadoras e dos trabalhadores, procurando verificar se houve avanços ou retrocessos na inserção em tal atividade. A Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho e do Emprego, é a principal fonte de informações. Os principais resultados apontam, no interim analisado, aumento na quantidade de indústrias têxteis instaladas no Ceará. Quanto ao perfil dos empregados, os dados revelam que as vagas são majoritariamente ocupadas pelo sexo feminino (60,48%), com idade entre 30 a 39 anos, com o ensino médio completo até o superior incompleto, sendo que eles possuem ligeiramente melhor qualificação em relação as mulheres. Ademais, elas permanecem de um a três anos no mesmo emprego, enquanto eles menos de um ano. Quanto aos rendimentos, constata-se concentração de indivíduos (homens e mulheres) ganhando de 1 a 2 salários mínimos. Porém, quando comparado os rendimentos mais elevados com o nível de instrução, as mulheres estão em pior situação, mesmo quando possuem a mesma escolaridade. 

Biografia do Autor

Priscila de Souza Silva, Universidade Regional do Cariri - URCA

Bacharela em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri - URCA. Pesquisadora do Observatório das Migrações no Estado do Ceará.

João Gomes da Silva, Universidade Regional do Cariri - URCA

Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri – URCA.

Pesquisador do Observatório das Migrações no Estado do Ceará e Bolsista CNPq.

Walas Wedel Martins de Santana, Universidade Regional do Cariri - URCA

Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri – URCA.

Pesquisador do Grupo de Estudos em Territorialidades Econômicas e Desenvolvimento Regional e Urbano – GETEDRU.

wendeleconomia@gmail.com

Silvana Nunes de Queiroz, Universidade Regional do Cariri - URCA

Professora Adjunta do Departamento de Economia da Universidade Regional do Cariri - URCA. Coordenadora do Observatório das Migrações no Estado do Ceará, aprovado no CNPq (2013-2017).

MULHERES NA INDÚSTRIA TÊXTIL FORMAL CEARENSE – 2000/2007/2014

Referências

ARAVANIS, E. 'Ao homem, a madeira e os metais; à mulher, a família e os tecidos': um estudo das lógicas de gênero que nortearam a organização do trabalho fabril no Rio Grande do Sul nos primeiros anos da República (1889-1920). In: Seminário Internacional Fazendo Gênero 7, 2006, Florianópolis. Gênero e Preconceitos: Anais [recurso eletrônico]. Florianópolis: Editora Mulheres, 2006. v. 1. p. 01-05.

BALTAR, P. E. A; PRONI, M. (1995) Flexibilidade do trabalho, emprego e estrutura salarial no Brasil, Cadernos CESIT, núm 15. Campinas, IE/CESIT. Disponível em: http://www.cesit.net.br/cesit/images/stories/15CadernosdoCESIT.pdf, acesso em: 27 de junho de 2016.

BARRETO, M. Cadernos de saúde do Trabalhador - A indústria do Vestuário e a saúde dos trabalhadores e trabalhadoras. Cadernos de Saúde do Trabalhador. São Paulo: INST e KINGRAF - Gráfica e Editora, 2000

BAYLÃO, A. L. S.; SCHETTINO, E. M. O. A Inserção da Mulher no Mercado de Trabalho Brasileiro. In XI SEGeT - Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Anais do XI Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Resende - Rio de Janeiro, 2014.

BEZERRA, F. D. Análise retrospectiva e prospectiva do setor têxtil no Brasil e no Nordeste. Informe Técnico do ETENE. Informe Macroeconomia, Indústria e Serviços, Fortaleza, Ano VIII, n. 2, 2014

BRITO, L. M. C. As condições de trabalho das mulheres no setor têxtil de Fortaleza: um estudo de caso em uma fábrica têxtil. Monografia (Serviço Social). Centro Superior do Ceará, Faculdade Cearense. Fortaleza, 2013.

DEDECA, Cláudio Salvadori; CUNHA, José Marcos Pinto da. Migração, trabalho e renda nos anos 90: o caso da RMSP, R. bras. Est. Pop., Campinas, v. 21, n. 1, p. 49-66, jan./jun. 2004.

DIEESE CNM/CUT. A indústria siderúrgica e da metalurgia básica no Brasil. Diagnóstico e propostas elaboradas pelos metalúrgicos da CUT 2012. Disponível em:< http://www.cnmcut.org.br/midias/arquivo/185-diagnostico-siderurgia.pdf>. Acesso em: 19 de junho de 2016.

FUJITA, R. M. L.; JORENTE, M. J. A indústria têxtil no Brasil: uma perspectiva histórica e cultural. Revista Moda Palavra e-Periódico, vol. 8, n. 15, jan./jul. 2015.

GAZZONA, R. S. Trabalho feminino na indústria do vestuário, Revista Educação & Sociedade, vol.18, n.61, p.88-109, dezembro 1997.

GOMES, F. A. Um fio da meada: experiência e luta dos trabalhadores têxteis em Fortaleza (1987-1991). Dissertação (Mestre em História Social). Universidade Federal do Ceará – UFC. Fortaleza – Ceará, 2012.

KON, A.; COAN, D. C. Transformações da Indústria Têxtil brasileira: A transição para a modernização. Revista Economia Mackenzie. Ano, 3. nº 3. P. 11-34. 2004.

LEONE, E; BALTAR, P. E. A. Diferenças de rendimento do trabalho de homens e mulheres com educação superior nas metrópoles. Revista Brasileira de Estudos de População, Abep, v.23, n. 2, jul./dez. 2006.

LIMA, J. S. Fiandeiras e tecelãs: o cotidiano de operárias têxteis fabris em Minas Gerais no final do século XIX um estudo na Cia. de Fiação e Tecidos Cedro e Cachoeira (1872-1930). In: XIV Seminário de Economia Mineira, 2010, Diamantina. Anais do XIV Seminário sobre a Economia Mineira – Diamantina, 2010. Belo Horizonte: Cedeplar - IPEAD, 2010. p. 01-24.

Manual de Orientação da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS): ano base 2015. – Brasília: MTPS, SPPE, DES, CGET, 2015. 49 p.

MOURA, E. B. B. Além da Indústria Têxtil: O trabalho feminino em atividades “masculinas”. Revista Brasileira de História. v.9, nº 18. pp. 83-98. São Paulo, 1989.

PEREIRA, J. B. C; MIGUEL, J. G; ARAUJO, C. C; ALMEIDA, L. O. S; PALONI, L. M. A Saliência de Identidade de Homens e Mulheres do Setor Têxtil. In: Enanpad 2014. Disponível em:< http://www.anpad.org.br/admin/pdf/2014_EnANPAD_EOR683.pdf>, acesso em, 27 de junho de 2016.

ROCHA, R. E. V.; VIANA, F. L. E.; NUNES, C. C.; NUNES, F. R. M. A indústria de confecções na região nordeste: gargalos, potencialidades e desafios. In XXVIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Anais do XXVIII ENEGEP. Rio de Janeiro – RJ, 2008.

RODRIGUEZ, C. M. T.; MÂSIH, R. T.; NUNES, F. R. M. Considerações Logísticas sobre a Industria Cearense de Confecções Têxteis. In: XIX Congresso ENEGEP e V International Congress of Industrial Engineering, 1999, Rio de Janeiro. Anais do XIX Congresso ENEGEP, 1999.

SALES, T. B. Tecelões de histórias: trabalhadores têxteis e a greve de 23 dias. In ANPUH – XXV Simpósio Nacional de História. Anais do XXV ANPUH. Fortaleza, 2009.

SILVA, E. K. R.; ARRAIS NETO, E. Convergências entre a educação da mulher e a vocação Têxtil no Ceará. In: 9° Colóquio de Moda, 2013, Fortaleza. Anais do 9° Colóquio de Moda, 2013.

SILVA FILHO, L. A. A Trajetória da Indústria e do Emprego Formal no Ceará: 1996/2006, Monografia (Graduação em Economia), Universidade Regional do Cariri (URCA), 2008.

_______________; QUEIROZ, S. N. Industrialização e emprego formal no Ceará: análise a partir dos dados da RAIS/MTE – 1996/2006. Revista de desenvolvimento do Ceará - Ipece, Nº 01, Outubro, 2010a.

_______________; QUEIROZ, S. N. Indústria têxtil: avaliação empírica do emprego formal em Santa Catarina vis-à-vis o Ceará - 1998/2008. In: IV Encontro de Economia Catarinense, 2010, Criciúma-SC. A Retomada do Planejamento: Construindo uma Agenda Regional e Nacional - Associação dos Pesquisadores em Economia Catarinense - APEC, 2010b.

SINDITÊXTIL/FIEC. O Fiar e o Tecer: 120 anos da indústria têxtil no Ceará /Elizabeth Fiúza Aragão (coord.) [et. al.]. Fortaleza, 2002.

TOITIO, R. D. O trabalho feminino frente ao domínio do capital. In: III Simpósio Lutas Sociais na América Latina, 2008, Londrina. Anais do III Simpósio, 2008. Disponível em: http://www.uel.br/grupo-pesquisa/gepal/terceirosimposio/rafaeltoitio.pdf, acesso em 27 de junho de 2016

ZAMARIOLLI, M. A Mulher na Política. COMMULHER - Conselho Municipal Dos Direitos Da Mulher. 7º fascículo. Santos, 2008 Disponível: <http://www.portal.santos.sp.gov.br/conselhos/e107_files/downloads/a_mulher_na_poltica.pdf>. Acesso em: 17 jun. 2016.

Downloads

Publicado

2017-07-28

Como Citar

Silva, P. de S., Silva, J. G. da, Santana, W. W. M. de, & Queiroz, S. N. de. (2017). MULHERES NA INDÚSTRIA TÊXTIL FORMAL CEARENSE – 2000/2007/2014. Revista De Estudos Sociais, 19(38), 130-147. https://doi.org/10.19093/res4474

Edição

Seção

Artigos