Participação do capital brasileiro na cadeia produtiva do leite: Estratégia para investimentos em segmentos do agronegócio nacional

Autores

DOI:

10.19093/res10148

Palavras-chave:

Market share, indústria nacional, agroindústria, agropecuária

Resumo

O conhecimento da heterogeneidade das cadeias produtivas do agronegócio feito no Brasil permite ações assertivas para o fomento de segmentos de interesse estratégico para o país. Um dos aspectos fundamentais a ser considerado é onde há oportunidades para ampliar a participação de grupos nacionais vis-à-vis multinacionais no agronegócio. Este trabalho busca identificar a participação do capital brasileiro nos diferentes segmentos da cadeia do leite produzido no Brasil a partir de dados das empresas que atuam no setor. O estudo revela que 51,8% dos segmentos agroindustriais da cadeia produtiva do leite são controlados por grupos brasileiros. A participação doméstica se destaca nos segmentos de sementes para pastos (95% de market share), de rações para nutrição animal (70,7%), de produção em campo (96,8%) e de comercialização e laticínios (71,9%). Esses são segmentos que podem ser estrategicamente apoiados para a consolidação e a expansão de grupos domésticos. A expansão vertical do capital nacional ao longo dos segmentos agroindustriais que melhor remuneram capital e trabalho é uma estratégia para superar a atual política de crescimento pela expansão horizontal para novas fronteiras agrícolas com altos custos sociais e ambientais.

Biografia do Autor

Gabriel da Silva Medina, Universidade de Brasilia (UnB)

Professor da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília (UnB) a partir de julho de 2019. Pós-doutor em Políticas Ambientais pelo Imperial College London (Reino Unido) (2014) com bolsa da Capes. Doutor em Ciências Naturais pela Universidade de Freiburg (Alemanha) (2008), revalidado como doutor em Ciências Agrárias. Licenciado Pleno em Ciências Agrárias (2001) com mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável pela Universidade Federal do Pará (2003). Professor dos Programas de Pós-graduação em Agronegócios da UnB e da UFG.

Referências

ASBIA. Asbia Index 2019. Brasília: Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia), 2019. v. 39

BASSI, N. S. S.; SILVA, C. L. DA; SANTOYO, A. Inovação, pesquisa e desenvolvimento na agroindústria avícola brasileira. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 21, n. 2, p. 392–417, 2013.

CEPEA. PIB do agronegócio - Dados de 1994 a 2019. Disponível em: <https://www.cepea.esalq.usp.br/br/pib-do-agronegocio-brasileiro.aspx>.

COMPRERURAL. Alta Genetics consolida-se líder em genética bovina. Disponível em: <https://www.comprerural.com/alta-genetics-consolida-se-lider-em-genetica-bovina/>.

COSTA, N. L.; SANTANA, A. C. Estudo da Concentração de Mercado ao Longo da Cadeia Produtiva da Soja no Brasil. Revista de Estudos Sociais, v. 16, n. 32, p. 111–135, 2014.

DAVIS, J. H.; GOLDBERG, R. A. A Concept of Agribusiness. American Journal of Agricultural Economics, v. 39, n. 4, p. 1042–1045, nov. 1957.

DI MEGLIO, G. et al. Services in Developing Economies: The Deindustrialization Debate in Perspective. Development and Change, v. 49, n. 6, p. 1495–1525, 2018.

EMBRAPA. Anuário Leite 2019. Brasília: Embrapa Gado de Leite, 2019.

IBGE. Censo Agropecuário 2017 - Resultados Definitivos. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario-2017>.

LEITEBRASIL. 22o Ranking das Maiores Empresas de Laticínios do Brasil. [s.l: s.n.].

LIMA, P.; MEDINA, G. Canais de comercialização de leite: possibilidades para o produtor goiano. Revista de Economia e Agronegócio, v. 16, n. 2, 2018.

MEDINA, G.; RIBEIRO, G.; BRASIL, E. Participação do capital brasileiro na cadeia produtiva da soja: lições para o futuro do agronegócio nacional. Revista de Economia e Agronegócio, v. 13, n. 1, 2016.

MEDINA, G.; SANTOS, A. Curbing enthusiasm for Brazilian agribusiness: The use of actor-specific assessments to transform sustainable development on the ground. Applied Geography, v. 85, p. 101–112, 2017.

MEURER, P. A. S. et al. Análise da Agroindústria Canavieira nos Estados do Centro-Oeste do Brasil a partir da Matriz de Capacidades Tecnológicas. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 53, n. 1, p. 159–178, 2015.

MILKPOINT. Levantamento Top 200 2019. [s.l.] MilkPoint, 2020.

MURPHY, S.; BURCH, D.; CLAPP, J. Cereal Secrets: The World’s Largest Commodity Traders and Global Trends in Agriculture. Oxfam Research Reports, n. August, p. 1–79, 2012.

PIKETY, T. O capital no século XXI. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

SANTOS, M.; GLASS, V. Atlas do Agronegócio: Fatos e números sobre as corporações que controlam o que comemos. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Böll, 2018.

SINDAN. Anuário da indústria de produtos para saúde animal. São Paulo: Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal, 2019.

SINDIRAÇÕES. Relatório anual. São Paulo: Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações), 2019.

SOENDERGAARD, N. Modern Monoculture and Periphery Processes: a World Systems Analysis of the Brazilian soy expansion from 2000-2012. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 56, n. 1, p. 69–90, 2018.

VILELA, D. et al. Pecuária de leite no Brasil: Cenários e avanços tecnológicos. Brasília: Embrapa, 2016.

Downloads

Publicado

2020-07-10

Como Citar

Medina, G. da S. (2020). Participação do capital brasileiro na cadeia produtiva do leite: Estratégia para investimentos em segmentos do agronegócio nacional. Revista De Estudos Sociais, 22(44), 146-167. https://doi.org/10.19093/res10148

Edição

Seção

Artigos