GERAÇÃO X, Y E BABY BOOMERS: Um desafio atual para uma organização do segmento tecnológico

Autores

  • Moisés Phillip Botelho FATEC - Faculdade de Tecnologia Senai MT
  • Ederson Fernandes de Souza FATEC SENAI MT
  • Leni Fátima Ferreira FATEC SENAI MT
  • Rosicley Nicolau de Siqueira FATEC SENAI MT

DOI:

10.30781/repad.v2i1.6003

Palavras-chave:

Estilo de administração, Gerações, Mundo do trabalho, Percepções.

Resumo

A globalização estimulou mudanças organizacionais, assim conhecer como as gerações  se comportam, em especial Baby Boomers, X e Y, torna-se estratégico para a produtividade e rentabilidade das empresas.  E ao identificá-las através de suas diferenças, particularidades das gerações, pode-se realizar gestão do capital humano como maior eficiência na delegação de tarefas. Diante disso, o objetivo deste trabalho é apresentar resultados prévios de uma pesquisa qualitativa sobre as percepções das gerações”, Baby Boomers, X e Y, na empresa Plugmais Distribuidora de Informática e Telecomunicações, localizada em Cuiabá, Mato Grosso. O instrumento de pesquisa utilizado foi um questionário com perguntas fechadas de múltipla escolha, aplicado a 23 colaboradores da empresa. Os resultados foram analisados com o suporte da escala Likert, com pontuação de 1 a 4. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Moisés Phillip Botelho, FATEC - Faculdade de Tecnologia Senai MT

Professor de Gestão da FATEC SENAI MT

Ederson Fernandes de Souza, FATEC SENAI MT

Professor de Gestão da FATEC SENAI MT

Leni Fátima Ferreira, FATEC SENAI MT

Estudante de Gestão de Recursos Humanos da FATEC SENAI MT

Referências

AGAPITO, Paula Rodrigues et al. Bem-estar no trabalho e percepção de sucesso na carreira como antecedentes de intenção de rotatividade. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 16, n. 6, p. 71-93, 2015.

ALEXANDRE, João Welliandre Carneiro et al. Análise do número de categorias da escala de Likert aplicada à gestão pela qualidade total através da teoria da resposta ao item. Encontro Nacional De Engenharia De Produção, v. 23, p. 1-20, 2003.

BOHLANDE, George W; SNELL, Scott A. Administração de recursos humanos. 16. ed. São Paulo: Cengage, 2015.

CAPPI, Mariana Nitz; ARAUJO, Bruno Felix von Borell de. Satisfação no trabalho, comprometimento organizacional e intenção de sair: um estudo entre as gerações x e y. REAd. Revista Eletrônica de Administração (Porto Alegre), v. 21, n. 3, p. 576-600, 2015.

CAVAZOTTE, Flávia de Souza Costa Neves; DA COSTA LEMOS, Ana Heloisa; DE AQUINO VIANA, Mila Desouzart. Novas gerações no mercado de trabalho: expectativas renovadas ou antigos ideais?. Cadernos Ebape. br, v. 10, n. 1, p. 162-180, 2012.

CENNAMO, L; GARDNER, D. Generational differences in work values, outcomes and person-organization values f t. Journal of Managerial Psychology, 23, 891-906.

CONGER, Jay. Quem é a geração X. HSM Management, v. 11, n. 1, p. 128-138, 1998.

DE MALAFAIA, Gabriela Silva. Gestão estratégica de pessoas em ambientes multigeracionais. Disponível em: <http://www.inovarse.org/sites/default/files/T11_0452_2151.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2017.

DE MATTOS, Carlos Alberto et al. Os desafios na transição da geração x para a y na empresa DORI LTDA. Revista Científica do Unisalesiano – Lins – SP, ano 2, n.4, jul/dez de 2011.

DRUCKER, Peter. Desafios gerenciais para o século XXI. São Paulo: Pioneira, 1999.

GONZAGA, Gustavo. Rotatividade e qualidade do emprego no Brasil. Revista de economia política, v. 18, n. 1, p. 120-140, 1998.

KNOB, Mônica Aline Strack. Percepção de carreira para a geração Y- um desafio para as organizações. São Paulo: RECAPE- revista de carreiras e pessoas. Volume VI número 03 set-dez. 2016.

LITTERER, Joseph A. Introdução à administração. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1980.

OLIVEIRA, Sidnei. Geração Y: Era das Conexões, tempo de Relacionamentos. São Paulo: Clube de Autores, 2009.

PEREIRA, Rita de Cássia de Faria; ALMEIDA, Stefânia Ordovás De; LAUX, Fabiano Notti. Marketing de gerações: construção e teste de escala para avaliação da marca de refrigerante coca-cola por jovens na fase de transição entre as gerações X e Y. REAd-Revista Eletrônica de Administração, v. 12, n. 4, 2006.

SILVA, Augusto Santos; PINTO, José Madureira. Uma visão global sobre as ciências sociais. 11. ed. Porto Alegre: Edições afrontamento. 2001.

SMOLA, K. W., & SUTTON, C. D. Generational differences: Revisiting generational work values for the new Millennium. Journal of Organizational Behavior, 2003,23, 363-382.

TEIXEIRA, G. M; SILVEIRA, A. C; NETO, C. P. S; OLIVEIRA, G. A. Gestão Estratégica de Pessoas. Rio de Janeiro: FGV Editora. 2010.

VELOSO, Elza Fátima rosa; SILVA, Rodrigo Cunha da; DUTRA, Joel Souza. Diferentes gerações e percepções sobre carreiras inteligentes e crescimento profissional nas organizações. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 13, n. 2, 2012.

VIEIRA, Almir Martins; FILENGA, Douglas. Faces e vicissitudes do trabalho: perspectivas históricas e contemporâneas. SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, v. 7, 2010.

XAVIER, Antonio Carlos. Letramento digital: impactos das tecnologias na aprendizagem da Geração Y. Calidoscópio, v. 9, n. 1, p. 3-14, 2011.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

BOTELHO, M. P.; DE SOUZA, E. F.; FERREIRA, L. F.; DE SIQUEIRA, R. N. GERAÇÃO X, Y E BABY BOOMERS: Um desafio atual para uma organização do segmento tecnológico. Revista Estudos e Pesquisas em Administração, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 104-117, 2018. DOI: 10.30781/repad.v2i1.6003. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/repad/article/view/6003. Acesso em: 26 set. 2021.