ENTENDIMENTO DAS OPINIÕES DOS VAREJISTAS COM INTERVENÇÃO DE GERENCIAMENTO DE CATEGORIA EM PAPELARIAS

Autores

  • Marcos Bechert Sartori Fundação Getúlio Vargas

DOI:

10.30781/repad.v5i2.11412

Palavras-chave:

Gerenciamento de categorias, Alocação de espaço, Varejo, Categoria de papel

Resumo

Um dos grandes desafios do pequeno varejo brasileiro é ter acesso a ferramentas para gestão do espaço físico das lojas, em virtude do custo de oportunidade do uso do limitado espaço entre produtos que competem entre si por visibilidade. Iniciativas de Gerenciamento de Categorias podem suprir parte desta demanda, e facilitar a interação entre varejista e indústria, através da troca de informações e do incremento dos resultados. O objetivo deste estudo foi verificar se uma alteração no modelo de exposição da categoria de papel em seis papelarias resultaria em mudança na percepção dos lojistas acerca do novo layout e dos materiais de exposição e comunicação da categoria nas suas papelarias. Os resultados confirmam que as intervenções executadas impactaram positivamente a opinião dos varejistas que participaram do piloto. Foi possível identificar que a categoria de papel não tinha padrão de exposição nem estratégia de comunicação dentro das lojas. Por meio do piloto foi possível criar um plano de exposição e comunicação eficientes, que valorizaram a categoria e consequentemente agregaram valor as lojas participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARKADER, R.; FERREIRA, C. F. Category management initiatives from the retailer perspective: a study in the Brazilian grocery retail industry. Journal of Purchasing and Supply Management, v. 10, n. 1, p. 41-51, 2004.

BEZAWADA, R. et al. Cross-Category Effects of Aisle and Display Placements: A Spatial Modeling Approach and Insights. Journal of Marketing, [s. l.], v. 73, n. 3, p. 99–117, 2009.

BOATWRIGHT, P.; NUNES, J. C. Reducing Assortment: An Attribute-Based Approach. Journal of Marketing, [s. l.], v. 65, n. 3, p. 50–63, 2001.

CATEGORY MANAGEMENT REPORT. The Joint Industry Project on Efficient Consumer Response. 1995.

CHANDON, P. et al. Does In-Store Marketing Work? Effects of the Number and Position of Shelf Facings on Brand Attention and Evaluation at the Point of Purchase. Journal of Marketing, [s. l.], v. 73, n. 6, p. 1–17, 2009.

CORSTEN, D.; KUMAR, N. Do Suppliers Benefit from Collaborative Relationships with Large Retailers? An Empirical Investigation of Efficient Consumer Response Adoption. Journal of Marketing, [s. l.], v. 69, n. 3, p. 80–94, 2005.

DESLAURIERS J. P. Recherche Qualitative. Montreal: McGraw Hill, 1991.

DUSSART, C. Category Management: Strengths, Limits and Developments. European Management Journal, [s. l.], v. 16, n. 1, p. 50-62, 1998.

ECR BRASIL. Pricewaterhouse Coopers (Cood.). Gerenciamento por Categorias: melhores práticas. São Paulo: Associação ECR Brasil, 1998.

FLAMAND, T. et al. Integrated assortment planning and store-wide shelf space allocation: An optimization-based approach. Omega, [s. l.], v. 81, p. 134–149, 2018.

GHISI, F. A.; SILVA, A, L. O surgimento e a difusão do Efficient Consumer Response (ECR) na cadeia de suprimentos. Universidade Federal de São Carlos. Pós graduação em Engenharia de Produção. Ribeirão Preto/SP: 2008. Disponível em:< http://www.fearp.usp.br/egna/resumos/Ghisi.pdf>. Acesso dia 01 de Junho de 2019.

GOONER, R. A; MORGAN, N. A; PERREAULT JR., W. D. Is Retail category management worth the effort (and does a category captain help or hinder)? Journal of Marketing, 75, n. 5, p. 18-33, 2011.

GUISSONI, L. A; CONSOLI, M. A; CASTRO, L. T. Proposta de gerenciamento por categoria pequeno varejo: do planejamento à virada de loja. In: EMA 2010 – IV Encontro de Marketing da ANPAD, 2010, Florianópolis. Anais. Florianópolis: ANPAD, 2010.

GUISSONI, L. A. et al. Is category management in small supermarkets worth the effort? RAE Revista de Administração de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, vol. 53, n. 6, p. 592-603, nov-dez de 2013.

HAMISTER, J. W.; FORTSCH, S. M. Cumulative impact of category management on small retailers. International Journal of Retail & Distribution Management, [s. l.], v. 44, n. 7, p. 680–693, 2016.

HONG, S.; MISRA, K.; VILCASSIM, N. J. The Perils of Category Management: The Effect of Product Assortment on Multicategory Purchase Incidence. Journal of Marketing, [s. l.], v. 80, n. 5, p. 34–10, 2016.

HÜBNER, A. H.; KUHN, H. Retail category management: State-of-the-art review of quantitative research and software applications in assortment and shelf space management. Omega, [s. l.], v. 40, n. 2, p. 199–209, 2012.

KURTULUS M.; NAKKAS, A.; ÜLKÜ, S. The Value of Category Captainship in the Presence of Manufacturer Competition. Production & Operations Management, [s. l.], v. 23, n. 3, p. 420–430, 2014.

LINDBLOM, A.; OLKKONEN, R. An analysis of suppliers’ roles in category management collaboration. Journal of Retailing & Consumer Services, [s. l.], v. 15, n. 1, p. 1–8, 2008.

MUSALEM, A.; ABURTO, L.; BOSCH, M. Market basket analysis insights to support category management. European Journal of Marketing, [s. l.], v. 52, n. 7/8, p. 1550–1573, 2018.

NIELSEN. Nielsen Category Management: Positioning Your Organization to Win. NTC Business Books, p. 172, 1992.

PARENTE, J. ; BARKI, E.. Varejo no Brasil. 1. ed. São Paulo: 2014. v. 1. 440p.

PIZZI, G.; SCARPI, D. The effect of shelf layout on satisfaction and perceived assortment size: An empirical assessment. Journal of Retailing & Consumer Services, [s. l.], v. 28, p. 67–77, 2016.

SHAAL, K.; HÜBNER, A. When does cross-space elasticity matter in shelf-space planning? A decision analytics approach. Omega, [s. l.], v. 80, p. 135-152, 2018.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

SARTORI, M. B. ENTENDIMENTO DAS OPINIÕES DOS VAREJISTAS COM INTERVENÇÃO DE GERENCIAMENTO DE CATEGORIA EM PAPELARIAS. Revista Estudos e Pesquisas em Administração, [S. l.], v. 5, n. 2, 2021. DOI: 10.30781/repad.v5i2.11412. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/repad/article/view/11412. Acesso em: 24 set. 2021.