INTERFACES ENTRE OS DOIS IRMÃOS, DE GERMANO ALMEIDA E CRÔNICA DE UMA MORTE ANUNCIADA, DE GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ

Autores

  • Diego da Cruz e Antonio Aparecido Mantovani polifoniapa@gmail.com

Resumo

Este estudo tem como objetivo investigar, no âmbito das relações literárias contemporâneas entre a América Latina e Cabo Verde, como se dá o diálogo entre as obras Os dois irmãos (1995), de Germano Almeida, e Crônica de uma morte anunciada (1983), de Gabriel García Márquez a partir dos motivos que levaram a escrita dos dois romances. Investigará também como o espaço impacta o comportamento das personagens que, não raro, são movidas pelo contexto em que estão inseridas. Essas obras podem ser aproximadas também, numa abordagem comparativa, por outros fatores como a presença do mito entre irmãos e a defesa da honra da família, o drama familiar causado pelo ciúme ou pelo adultério seguido da reparação sob o signo da vingança, e a coerção imposta pelos valores da sociedade. Para isto, para se entender a correlação entre o espaço e as personagens, far-se-á uso dos conceitos teóricos de Antonio Candido (1972) e de Osman Lins (1976). Sobre o limiar entre a História e a ficção, a ambiguidade, que a autora denomina de “metaficção historiográfica”, buscou-se o estudo de Linda Hutcheon (1991).

Downloads

Publicado

2018-10-17

Como Citar

ANTONIO APARECIDO MANTOVANI, D. da C. e. INTERFACES ENTRE OS DOIS IRMÃOS, DE GERMANO ALMEIDA E CRÔNICA DE UMA MORTE ANUNCIADA, DE GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ. Polifonia, [S. l.], v. 25, n. 39.2, p. 230–247, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/7418. Acesso em: 19 jun. 2024.