A REPRESENTAÇÃO DA INTELECTUALIDADE NEGRA NA NARRATIVA DE NEI LOPES ATRAVÉS DE VOZES VELADAS, VELUDOSAS VOZES

Autores

  • Consoelo Costa Soares Carvalho polifoniapa@gmail.com

Resumo

O romance Rio Negro, 50 de Nei Lopes, apresenta uma multiplicidade de personagens que muitas vezes se relacionam e convivem com figuras históricas, explora a história do povo negro brasileiro destituindo-a do lugar de subalternidade. Além disso, tem como peculiaridade o protagonismo de negros intelectuais, fator improvável aos padrões hegemônicos, pois essa condição de intelectualidade, por estar intimamente ligada à obtenção de conhecimento instituído, aparece nos discursos sócio-históricos e literários como característica não atribuível ao negro. Fundamentando-se em um enfoque pós-colonial e decolonial, a partir do qual as hierarquias – sejam elas relativas ao conhecimento, à classe social, ao gênero, à raça etc., – são questionadas, nosso objetivo é demonstrar como essa representatividade do negro como intelectual questiona tais hierarquias e ao mesmo tempo revela-nos novas perspectivas sociais. Portanto, primeiramente apresentamos uma breve discussão sobre o caráter universalizante das epistemologias ocidentais, a partir do qual diferentes perspectivas são desconsideradas, e, por fim, apoiamos a ideia de que diferentes tipos de relações sociais dão origem a diferentes conhecimentos, assim, é preciso considerar essa pluralidade de saberes.

Downloads

Publicado

2018-10-17

Como Citar

CARVALHO, C. C. S. A REPRESENTAÇÃO DA INTELECTUALIDADE NEGRA NA NARRATIVA DE NEI LOPES ATRAVÉS DE VOZES VELADAS, VELUDOSAS VOZES. Polifonia, [S. l.], v. 25, n. 39.1, p. 131–148, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/7411. Acesso em: 16 jun. 2024.