Os aspectos sociocomunicativos, composicionais e dialógicos do gênero miniconto

Autores

  • Júlio César de Carvalho Santos jucercarvalho@hotmail.com
    Universidade de Taubaté https://orcid.org/0000-0002-3372-1643
  • Vânia de Moraes jucercarvalho@hotmail.com
    Universidade de Taubaté - Unitau

Palavras-chave:

Gêneros discursivos. Minicontos. Dialogismo

Resumo

Este trabalho tem como objetivo verificar as características do gênero miniconto, a partir de seus aspectos sociocomunicativos, composicionais e dialógicos. Os problemas que motivaram esta pesquisa foram a ausência de divulgação do gênero miniconto no cenário escolar e  a falta de material teórico que caracterize o gênero, a partir da perspectiva bakhtiniana. Do ponto de vista teórico, este trabalho se fundamenta a partir das concepções bakhtinianas de linguagem e dos estudos de caracterização de gênero discursivo.

Biografia do Autor

Júlio César de Carvalho Santos, Universidade de Taubaté

Doutorando em Educação pela Universidade de São Paulo - USP; Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade de Taubaté - Unitau. Professor de Língua portuguesa da rede municipal de ensino na cidade de São Paulo. Desenvolve pesquisas na área de leitura, gêneros discursivos, escrita e psicanálise.

Vânia de Moraes, Universidade de Taubaté - Unitau

Possui graduação em Educação Artística especialização em Artes Plásticas pela Faculdade Belas Artes de São Paulo (1991), Pós-Graduação em Comunicação Social pela Universidade de Taubaté, Pós-Graduação em Marketing e Comercio Exterior pela Universidade de Taubaté, Mestrado em Lingüística Aplicada pela Universidade de Taubaté e Doutorado em Comunicação e Semiótica na PUC/SP. Atualmente é Professora Efetiva da Universidade de Taubaté, leciona nos Cursos de Pós-Graduação e de Graduação, nas áreas de Comunicação, Estética e Arte.

 

Referências

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: Estética da Criação Verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2011. p. 261-306.

BERNARDI, F. As bases da literatura brasileira. Porto Alegre: AGE, 1999.

BRAIT, B. Bakhtin e a natureza constitutivamente dialógica da linguagem. In: BRAIT, B. Bakhtin, dialogismo e construção de sentido. 2.ed. São Paulo: Editora da Unicamp, 2005.

BRANDÃO, H. N. Texto, gêneros do discurso e ensino. In: CHIAPPINI, L.(Org.). Gêneros do discurso na escola: Mito, Conto, Cordel, Discurso Político, Divulgação Científica. São Paulo: Cortez, 2000. p. 17-46.

DANTAS, C.S.B. Minicontos: uma prática de letramento emergente na escola. 2015. 129 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Currais Novos, 2015.

DIAS, A.V.M.; MORAIS, C.G.; PIMENTA, V.R; SILVA, W.B. Minicontos multimodais: reescrevendo imagens cotidianas. In: ROJO, R.; ALMEIDA, E.M. e organizadores. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012, p. 75-94.

FERRAZ, G. G. As histórias de um parágrafo. Língua Portuguesa. São Paulo. Ano 2, n. 21, 2007, p. 38-39.

FIORIN, J.L. Leitura e Dialogismo. In: ZILBERMAN, Regina; ROSING, Tania. M.K. (Org.). Escola e Leitura: velha crise, novas alternativas. São Paulo: Global, 2009.

______. Introdução aos pensamentos de Bakhtin. 2.ed. São Paulo: Contexto, 2016.

FREIRE, M. Os cem menores contos brasileiros do século. Cotia: Ateliê Editorial, 2004.

LIMA, A.P. Procedimentos teórico-metodológicos de estudo de gêneros do discurso: atividade e oralidade em foco. In: BRAIT, B.; MAGALHÃES, A.S. (Org.). Dialogismo: teoria e (m) prática. São Paulo: Terracota, 2014.

LOPES-ROSSI, M. A. G. Procedimentos para estudo de gêneros discursivos da escrita. Revista Intercâmbio. São Paulo: LAEL/PUC-SP, v.15, 2006.

MARCHI, D.M. Dalton Trevisan: _Ah, é?. Ciências e Letras. Porto Alegre: FAPA, v. 34, 2003, p. 83-92.

MARCUSCHI, L.A. Produção textual, análise de gênero e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008. p. 228-243.

MELO, R. O discurso como reflexo e refração e suas forças centrífugas e centrípetas. In: PAULA, L.; STAFUZZA, G. (Org.). Círculo de Bakhtin: teoria inclassificável. Campinas: Mercado de Letras, 2010. p. 235-264.

ROSSATTO, E. Cem toques cravados. São Paulo: Editora Europa, 2012.

SANCHES NETO, M. Biblioteca Trevisan. Curitiba: Ed. da UFPR, 1996.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita – elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. e colaboradores. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004. p. 35-60.

SILVA, G.F.P. O Twitter como um novo gênero digital para o ensino de língua materna a partir de uma análise textual e discursiva do gênero literário microconto. 2013, 157 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade de Taubaté, Taubaté, 2013.

SOBRAL, A. Ver o texto com os olhos do gênero: uma proposta de análise. Bakhtiniana, São Paulo, v.1, n. 1, 2009. p. 85-103.

SPALDING, M. Os Cem Menores Contos Brasileiros e a Reinvenção do Miniconto na Literatura Brasileira Contemporânea. 2008. 81 f. Dissertação (Mestrado em Literaturas Brasileira, Portuguesa e Luso-africanas) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

______. Presença do miniconto na literatura brasileira. Conexão Letras, Porto Alegre, v. 7, n. 8, 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/conexaoletras/article/view/55443/33705>. Acesso em 25 abr. 2017.

WACHOWICZ, T.C. Análise linguística nos gêneros textuais. São Paulo: Saraiva, 2012.

Downloads

Publicado

2019-03-27

Como Citar

SANTOS, J. C. de C.; MORAES, V. de. Os aspectos sociocomunicativos, composicionais e dialógicos do gênero miniconto. Polifonia, [S. l.], v. 26, n. 41, p. 61–83, 2019. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/7295. Acesso em: 19 jun. 2024.