A Hora da Estrela: texto-imagem

Autores

  • Sara André da Costa sarasofiaandre@gmail.com
    University of Nottingham
  • Rui Gonçalves Miranda rui.miranda@nottingham.co.uk
    University of Nottingham

Palavras-chave:

A Hora da Estrela, adaptação cinematográfica, transmutação.

Resumo

A relação da literatura com o cinema ao longo dos tempos tem-se revelado problemática e termos como infidelidade, traição, deformação, violação são alguns dos utilizados para qualificar as inúmeras adaptações cinematográficas de obras literárias ao longo da história do cinema. No entanto, numa tendência que se tem vindo a reforçar nos últimos anos, vozes críticas houve que se bateram por um entendimento outro (não-valorativo e/ou hierárquico) das relações intermédias entre cinema e literatura. Tendo como ponto de partida A Hora da Estrela, obra literária de Clarice Lispector e filme de Suzana Amaral, o principal objetivo deste artigo será a procura de Rodrigo S. M., personagem aparentemente em fuga na adaptação cinematográfica desta obra de Clarice. Como tentará ser mostrado, o caminho será o de não interpretar este anulamento como uma infidelidade, mas sim tentar compreender de que forma a voz do narrador continua, mesmo assim, presente no filme. Para tal, a nossa reflexão sustenta-se essencialmente no próprio texto clariceano e na obra de Amaral, assim como aos textos que compõem a obra Empirismo Herege de Pier Paolo Pasolini e através da qual o poeta, escritor e realizador, (se) reflete em variadas concepções teóricas de natureza não apenas cinematográfica mas também linguística, resguardando-se, apesar de tudo, numa posição de «poeta que se impacienta perante o seu trabalho concreto» e «não como filósofo».

Biografia do Autor

Sara André da Costa, University of Nottingham

2016 – até ao momento: Teaching Affiliate, Professora de Língua Portuguesa para Estrangeiros na Spanish, Portuguese and Latin American Studies Stection(SPLAS) e no Language Centre da Universidade de Nottingham.

2017: Participante na conferência After Clarice – Lispector’s Legacy (Novembro 2017), dedicada ao trabalho da escritora brasileira  Clarice Lispector na Universidade de Oxfords, com uma comunicação intitulada Mutatis Mutandis – Ausências Comunicantes.

2017: Pos-graduação, Masters by Research em Estudos Portugueses e Lusófonos, na Universidade de Nottingham –  Spanish, Portuguese and Latin American Studies Section (SPLAS).

2016:  Participante no Congresso Internacional Herberto Helder – Uma Vida Inteira a Fundar um Poema (Novembro, 2016), dedicado ao trabalho do poeta português Herberto Helder, Universidade da Madeira, Portugal, com uma comunicação intulada Clarice Lispector e Herberto Helder: a procura continua.

2003 – 2004: Pós-graduação, especialização em Técnicos Editoriais, Universidade de Lisboa, Portugal. 

1998 - 2003: Licenciatura em Linguística Geral e Românica,  Universidade de Lisboa, Portugal.

Referências

ARAÚJO, Washington Andrade de. Macabéa Vai Ao Cinema. A Hora da Estrela e a travessia da linguagem literária para a cinematográfica. 2008. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Faculdade de Comunicação, Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

DALATE, S. A escritura do sil ê ncio: uma poética do olhar em Wlademir Dias Pino. 1997. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual de São Paulo, Assis, SP, 1997

BARBOSA, Afonso; MOUSINHO, Luiz Antonio. A hora da estrela: adaptação e linguagem cinematográfica no filme de Suzana Amaral. Revista Sessões do Imaginário, Rio Grande do Sul, n. 28, p. 42-50, 2012.

PASOLINI, Pier Paolo Pasolini. Empirismo Herege. Lisboa: Assírio & Alvim, 1982.

KRISTEVA, Julia. Introdução à Semanálise. São Paulo: Perspectiva, 2005.

LAMAS, Berenice Sica. O Duplo em Lygia Fagundes Telles: um estudo em Literatura e Psicologia. Rio grande do Sul: EdiPUCRS, 2005.

LISPECTOR, Clarice. A Hora da Estrela. Lisboa: Relógio d’Água, 2002.

MARTIN, Marcel. A Linguagem Cinematográfica. Lisboa: Dinalivro, 2005.

NUNES, Benedito. O Drama da Linguagem. Uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo: Editora Ática, 1989.

RAMOS, Fernão Pessoa. Bazin espectador e a intensidade na circunstância da tomada. Revista Imagens, Campinas, n.º 8, p. 98-105, 1998.

WALDMAN, Berta. Clarice Lispector: A Paixão Segundo C. L.. São Paulo: Escuta, 1993.

Downloads

Publicado

2018-12-27

Como Citar

COSTA, S. A. da; MIRANDA, R. G. A Hora da Estrela: texto-imagem. Polifonia, [S. l.], v. 25, n. 40.1, p. 160–176, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/6460. Acesso em: 13 jun. 2024.