(Re)criando mundos: imagem técnica e realidade em Matrix e Time Out of Joint

Autores

  • Anderson Soares Gomes Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

imagem técnica, cinema, literatura

Resumo

Neste artigo, será feita uma investigação sobre as maneiras pelas quais questões sobre imagem técnica são tematizadas em diferentes produções artísticas, usando como corpus de análise o filme Matrix, de Lana e Lilly Wachowski, e o romance Time Out of Joint de Philip K. Dick. A partir da análise das duas obras, pretendemos discutir o crescente papel das imagens técnicas (aquelas produzidas por meio de processos químicos, elétricos e/ou eletrônicos) na configuração de noções de realidade, fazendo com que aspectos do simulacro e do hiper-real se infiltrem na percepção intersubjetiva que o indivíduo tem do mundo. Considerando a fortuna crítica sobre o assunto e do estudo do filme e do romance supracitados, indicaremos como a profusão de imagens técnicas, em especial na contemporaneidade, inaugura uma tensão entre o próprio conceito de representação e o real, problematizando questões de referência e cópia. Além disso, por meio da análise de Matrix e Time Out of Joint, veremos como obras de diferentes meios (nesse caso, o cinematográfico e o literário) tematizam esses discursos, abrindo perspectivas de entendimento para o papel e a influência da imagem técnica no terreno das artes e da cultura de massa.

Biografia do Autor

Anderson Soares Gomes, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Professor Associado do Departamento de Letras de Comunicação da UFRRJ, ministrando as disciplinas "Literatura Inglesa I e II" e "Literatura Americana I e II". Pós-doutor em Estudos de Literatura pela PUC-Rio.

Referências

BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e Simulação. Lisboa: Antropos, 1991.

___________________. Tela total: mito-ironias da era do virtual e da imagem. Porto Alegre: Sulina, 2005.

___________________. The perfect crime. London: Verso, 2008.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.

DICK, Philip K. Time Out of Joint. New York: Vintage, 2002.

ECO, Umberto. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva, 1979.

_____________. Viagem na Irrealidade Cotidiana. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

FLUSSER, Vilém. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

_______________. O universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade. São Paulo: Annablume, 2008.

_______________. Filosofia da caixa preta: ensaios para uma futura filosofia da fotografia. São Paulo: Annablume, 2011.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

JAMESON, Fredric. Pós-Modernismo: A Lógica Cultural do Capitalismo Tardio. São Paulo: Ática, 2002.

JOLY, Martine. Introdução à análise da imagem. Campinas: Papirus, 1996.

LIPOVETSKY, Gilles & SERROY, Jean. A tela global: mídias culturais e cinema na era hipermoderna. Porto Alegre: Sulina, 2009.

PLAZA, J. As imagens de terceira geração, tecno-poéticas. In: PARENTE, André (org.). Imagem Máquina. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

PLATÃO. A República. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

PROBST, Christopher. "Welcome to the Machine", American Cinematographer (Abril de 1999), pp.32-36.

ROBERTS, Adam. Science Fiction. New York: Routledge, 2000.

SHAKESPEARE, William. Hamlet. London: Penguin Books, 1994.

Downloads

Publicado

2018-12-27