“QUANTO MAIS EU REZO, MENOR É A MINHA GRAÇA”!: AGÊNCIA CORPORAL EM SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO

Autores

  • Sergio Nunes Melo sergio.nmelo@gmail.com
    Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo

Neste artigo, analisamos Sonho de Uma Noite de Verão, de William Shakespeare, enfocando o tema da agência corporal com um ponto de vista da fenomenologia histórica. Argumentando que a Teoria dos Humores é fundamental para a compreensão da noção de corporeidade no Renascimento, enfocamos a relação entre a imagística, a frequência lexical e a cultura da Aurora da Idade Moderna para discutirmos em que modo fênomenos, como a política do desejo, práticas disciplinares, a resistência à normatividade e a modéstia cortês, são representados na comédia romântica em questão. Demonstramos que a representação do sexo é um percurso essencial para a representação do sublime.
PALAVRAS-CHAVE: Agência corporal, Teoria dos humores, Shakespeare

 

Biografia do Autor

Sergio Nunes Melo, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Literaturas de Língua Inglesa pela UERJ e Doutor em Teatro pela University of Toronto, ex-professor da Escola de Teatro da UFBA, é atualmente Professor Adjunto II do Curso de Teatro da Universidade Federal de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

2015-03-10

Como Citar

MELO, S. N. “QUANTO MAIS EU REZO, MENOR É A MINHA GRAÇA”!: AGÊNCIA CORPORAL EM SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO. Polifonia, [S. l.], v. 21, n. 30, 2015. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/1877. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê