O ensino dos gêneros discursivos em um material didático pautado na semiótica francesa

Reflexões sobre o embasamento teórico na prática dos professores

Autores

  • Tiana Andreza Melo Antunes polifoniapa@gmail.com
    Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

Neste trabalho dedicamo-nos a uma reflexão sobre a abordagem de gêneros discursivos em uma obra didática destinada ao sexto ano do ensino fundamental. Como a obra é pautada em conceitos teóricos da semiótica francesa, o objetivo principal é demonstrar como este direcionamento teórico é pertinente para a abordagem dos gêneros discursivos, já que a semiótica greimasiana traz contribuições para a análise de quaisquer textos. Além das contribuições da semiótica francesa, retoma-se o posicionamento de Bakhtin e outros estudiosos para a compreensão da noção de gênero discursivo; também, apontam-se possíveis caminhos para o trabalho com os gêneros conto (a partir da obra eleita) e miniconto, seguindo a linha teórica escolhida. Conclui-se que, para um bom processo de ensino-aprendizagem dos gêneros discursivos, é preciso não somente que o material didático usado seja bem recortado teoricamente, mas também que a utilização de uma linha teórica tem necessidade de um estudo constante por parte dos professores de língua portuguesa.

Referências

ANTUNES, T. A. M. Estados de alma e suplementos televisivos: uma análise semiótica. 232 páginas. 2016. Tese (Doutorado em Letras Vernáculas) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina G. G. Pereira. 2. ed. São Paulo, Martins Fontes, 1997.

BARROS, D. L. P. de. Teoria semiótica do texto. 4. ed. São Paulo: Ática, 2008.

BARTHES, R. O prazer do texto. Tradução de J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2015.

BERTRAND, D. Caminhos da semiótica literária. Tradução do grupo CASA. Bauru, SP: EDUSC, 2003.

COSTA, S. R. Dicionário de gêneros textuais. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2020.

DIONISIO, A. P. Livros didáticos de Português formam professores?. In: Congresso Brasileiro de Qualidade na Educação, 2002, Brasília. Congresso Brasileiro de Qualidade na Educação - Simpósios. Brasília: MEC, 2001. v. 1. p. 82-88.

DISCINI, N.; TEIXEIRA, L. Perspectiva: língua portuguesa, 6. 2. ed. São Paulo: Editora do Brasil, 2012. Coleção perspectiva.

DISCINI, N.; TEIXEIRA, L. Perspectiva: língua portuguesa, 6. 2. ed. São Paulo: Editora do Brasil, 2012b. Manual do professor.

FIORIN, J. L. Elementos de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2011.

HOUAISS, A. Minidicionário Houaiss da Língua Portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010.

KÖCHE, V. S.; MARINELLO, A. F. Ler, escrever e analisar a língua a partir de gêneros textuais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

KOCH, I.; ELIAS, V. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2013.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: configuração, dinamicidade e circulação. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA B.; BRITO, K. S. (Org.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2011. p. 17-31.

MICHELLI, R. Contos fantásticos e maravilhosos. In: GREGORIN FILHO (Org.), J. N. Literatura infantil em gêneros. São Paulo: Mundo Mirim, 2012. p. 26-56.

Downloads

Publicado

2023-06-03

Como Citar

ANTUNES, T. A. M. . O ensino dos gêneros discursivos em um material didático pautado na semiótica francesa: Reflexões sobre o embasamento teórico na prática dos professores. Polifonia, [S. l.], v. 29, n. 54, p. 8–27, 2023. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/15661. Acesso em: 15 jun. 2024.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos