Formação docente para o ensino de línguas adicionais para crianças

Uma discussão inadiável e o desvelar de (possível) currículo

Autores

  • Leandra Ines Seganfredo Santos leandraines@unemat.br
    Universidade Estadual de Mato Grosso
  • Juliana Reichert Assunção Tonelli polifoniapa@gmail.com

Resumo

A formação docente – inicial e continuada - para o ensino de línguas adicionais para crianças é um tema que ainda carece de estudos e, em especial, de proposituras. Além disso, faz-se necessário problematizar um possível currículo que atenda às necessidades de tal formação. Neste artigo, propomos possíveis caminhos para a caracterização de um currículo de curso de formação docente para atuação no ensino de línguas adicionais para crianças, não só para proposituras futuras, bem como para construção de políticas públicas concernentes ao tema a partir da apresentação e análise de duas propostas de formação continuada de professores de línguas adicionais para crianças, na modalidade lato sensu, implementadas em caráter inédito no Brasil, em duas universidades estaduais públicas localizadas nas regiões Centro-Oeste e Sul. Para atingir tal objetivo, recuperamos pesquisas desenvolvidas na área da linguística aplicada e da educação, as quais caracterizam tal discussão como inadiável no contexto contemporâneo. A metodologia do estudo é de cunho descritivo-analítico-propositivo realizada mediante a análise dos objetivos da proposta de formação, das disciplinas e ementas e das orientações para elaboração do trabalho final de cada curso. As análises nos permitiram a proposição de eixos curriculares destacados por meio de três campos de formação: teórico, metodológico e de produção científica. Os resultados sinalizam que um currículo possa integrar pressupostos teórico-metodológico-científicos para oportunizar uma formação docente reflexiva, sobretudo, que oportunize a compreensão de como se caracteriza a criança como aprendiz de línguas e, consequentemente, que ofereça oportunidades de planejamento.

Referências

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

BRASIL. Lei 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 16 jul. 1990.

BROSSI, G. C.; FURIO, M.; TONELLI, J. R. A. Currículo e formação de professores de inglês em duas universidades: questões e desdobramentos. Reflexão e Ação, v. 28, p. 96-112, 2020. DOI: https://doi.org/10.17058/rea.v28i3.14310. Acesso em 24 de jan. de 2022.

BUOSE, V. L. O. P.; SANTOS, L. I. S. Oficina de língua inglesa para criança: uma sequência didática com gênero textual em ação. In: TONELLI, J. R. A; PÁDUA, L. S.; OLIVEIRA, T. R. R. (org.). Ensino e formação de professores de línguas estrangeiras para crianças no Brasil. Curitiba: APPRIS, p. 63-93, 2017.

ENGESTRÖM, Y.; SANNINO, A. Studies of expansive learning: foundations, findings and future challenges. Educational Research Review, Netherlands, v. 1, n. 4, p. 1-24, 2010. DOI https://doi.org/10.1016/j.edurev.2009.12.002. Acesso em 24 de jan. de 2022.

FERREIRA, D. M. M. Do semelhante ao mesmo, do diferente ao semelhante: sujeito, ator, agente e protagonismo da linguagem. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 17, n. 4, p. 619-640, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/1984-6398201611377. Acesso em 24 de jan. de 2022.

GARTON, S.; COPLAND, F.; BURNS, A. Investigating Global Practices in Teaching English to Young Learners. British Council, 2011, p. 02-29.

GINI, K. M. P. Elementos constitutivos na implementação de língua inglesa nos anos iniciais do ensino fundamental em três municípios do norte do Paraná. 2017. Londrina, PR. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Londrina - UEL, 2017, 194 p.

GOODSON, I. F. As políticas de currículo e de escolarização: abordagens históricas. 2. ed., Tradução de Vera Joscelyne. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008, 168 p.

KUMARAVADIVELU, B. A Linguística Aplicada na Era da Globalização. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo da (org.). Por uma Linguística Aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006, p. 129-148.

LIMA, A. P. Desenvolvimento Profissional de professores de inglês para crianças do Ensino Fundamental I: possibilidades para a formação e trabalho docente. 2019. Rio Claro, SP. Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulista. 2019, 298 p.

LIMA, A. S.; SANTOS, L. I. S. Formação de professores em pré-serviço: o fazer docente na oferta de língua inglesa para crianças. Revelli- Revista de Educação, Língua e Literatura. UEG-Inhumas, v. 9, n. 1, p. 37-57, 2017. Disponível em https://www.revista.ueg.br/index.php/revelli/article/view/6729. Acesso em 24 de jan. de 2022.

MATO GROSSO. Projeto do curso de Especialização “Ensino e aprendizagem de línguas adicionais para crianças”. Faculdade de Educação e Linguagem do Câmpus Universitário de Sinop. UNEMAT, 2018.

MELLO, M. G. B. Ensino de inglês nos anos iniciais do Ensino Fundamental: um estudo de política pública no município de Rolândia - Pr. 2013. Londrina, PR. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Londrina, 2013, 149 p.

MOREIRA, F. A. Qualidade na educação e no currículo: tensões e desafios. Trabalho apresentado em mesa-redonda do Seminário Educação de qualidade: desafios atuais, promovido pela Novamerica, Centro Cultural Poveda e Colégio Teresiano, em 27 de setembro de 2008.

NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009, 95 p.

OLIVEIRA, M. E. "Alguém como nós": uma iniciativa de reorganização do contexto de formação de professores de inglês para crianças no município de Londrina. 2016. Londrina, PR. Trabalho de Conclusão de Curso do Mestrado Profissional. Universidade Estadual de Londrina - UEL, 2016, 43 p.

RAJAGOPALAN, K. A norma linguística do ponto de vista da política linguística. In: LAGARES, X, C.; BAGNO, M. (org.). Políticas da norma e conflitos linguísticos. São Paulo, Parábola Editorial, p. 121-128, 2011.

ROCHA, C. H. O ensino de línguas para crianças: refletindo sobre princípios e práticas. In: ROCHA, C. H.; BASSO, E, A. (org.). Ensinar e aprender língua estrangeira nas diferentes idades: reflexões para professores formadores. São Carlos, Claraluz, p. 15-34, 2008.

ROCHA, C. H. O ensino de LE para crianças no Ensino Fundamental público na transdisciplinaridade da linguística aplicada. In: TONELLI, J. R. A.; RAMOS, S. G. M. (org.) O ensino de LE para crianças: reflexões e contribuições. Londrina, Moriá, p. 1-34.

ROMMEL, T. C. O processo de produção colaborativa de material didático no Projeto Londrina Global. 2018. Londrina, PR. Trabalho de Conclusão do Mestrado Profissional Universidade Estadual de Londrina - UEL, 2007, 84 p.

SANTOS, B. de S. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. 2. ed. São Paulo, Cortez, 2005, 120 p.

SANTOS, L. I. S. Língua inglesa em anos iniciais do ensino fundamental: fazer pedagógico e formação docente. 2009. 198 f. Tese de doutorado. Universidade Estadual Paulista, 2009.

SCHLATTER, M.; GARCEZ, P. Línguas adicionais (Espanhol e Inglês). In: RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Educação. Departamento Pedagógico. Referenciais curriculares do Estado do Rio grande do Sul: linguagens, códigos e suas tecnologias. Porto Alegre: SE/DP, 2009, p. 129-135.

SCHLATTER, M; GARCEZ. P. Línguas adicionais na escola: aprendizagens colaborativas em Inglês. Erechim, Edelbra, 2012, 176 p.

SCHWEIKART, J. F.; SANTOS, L. I. S. Oficinas de língua inglesa para crianças: aprendendo com as tecnologias digitais. Fólio – Revista de Letras Vitória da Conquista, v. 6, n. 2, p. 223-251, 2014. Disponível em https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/3015/2516. Acesso em 24 de jan. de 2022.

SILVA, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte, Autêntica, 2009, 158 p.

SILVA, T. T. da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

SZUNDY, P. T. C. Prefácio. In: TONELLI, J. R. A.; PÁDUA, L. S.; OLIVEIRA, T. R. R. (org.) Ensino e formação de professores de línguas estrangeiras para crianças no Brasil. Curitiba: APPRIS, 2017.

TANACA, J. J. C. Aprendizagem expansiva em espaços híbridos de formação continuada de professoras de inglês para crianças no Projeto Londrina Global. Londrina, PR. 2017. 255 f. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Londrina - UEL, 2017.

TUTIDA, A. F. Ensino de língua inglesa para crianças: questões sobre formação de professores e os saberes da prática. 2016, 314 f. Londrina, PR. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Londrina - UEL, 2016.

TONELLI, J. R. A.; CRISTOVÃO, V. L. L. O papel dos cursos de Letras na formação de professores de inglês para crianças. Revista Calidoscópio, São Leopoldo: Unisinos, São Leopoldo, v. 8, n. 1, p. 65-76, 2010. DOI http://dx.doi.org/10.4013/cld.2010.81.06 . Acesso em 24 de jan. de 2022.

TONELLI, J. R. A.; PÁDUA, L. S. O estado da arte de pesquisas sobre ensino e formação de professores de línguas estrangeiras para crianças no Brasil. In: TONELLI, J. R. A.; PÁDUA, L. S.; OLIVEIRA, T. R. (org.). Ensino e Formação de professores de Línguas Estrangeiras para crianças no Brasil. Curitiba, APPRIS, 2017, p. 17-39.

TONELLI, J. R. A. Professores de línguas adicionais para crianças: atores de espaços vazios? In: REIS, S. (org.). História, políticas e ética na área profissional da linguagem. Londrina: EDUEL, 2017, p. 67-84.

TONELLI, J. R. A; AVILA, P. A. A inserção de línguas estrangeiras nos anos iniciais de escolarização e a base nacional comum curricular: silenciamento inocente ou omissão proposital? Revista X, Curitiba, v. 15, n. 5, p. 243-266, 2020. DOI http://dx.doi.org/10.5380/rvx.v15i5.73340. Acesso em 24 de jan. de 2022.

VICENTIN, K. A. Inglês nos anos iniciais do Ensino Fundamental I público: de representações a políticas linguísticas. 2013, 149 f. Campinas, SP. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, 2013.

Downloads

Publicado

2022-04-25

Como Citar

SANTOS, L. I. S. .; TONELLI, J. R. A. . Formação docente para o ensino de línguas adicionais para crianças: Uma discussão inadiável e o desvelar de (possível) currículo. Polifonia, [S. l.], v. 28, n. 52, p. 233–259, 2022. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/13718. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Outros lugares