Aceitabilidade de perguntas não-invertidas por aprendizes brasileiros de língua inglesa

Autores

Resumo

Estudos sobre a gramática do inglês falado têm crescido consideravelmente desde os anos 90. Pesquisadores dessa área afirmam que a aprendizagem de línguas com base em dados de corpus linguístico, extraídos de conversas de falantes nativos em contextos informais, proporciona um melhor entendimento da língua alvo, contribuindo para que a fala desses aprendizes seja mais natural. Neste estudo, 60 brasileiros aprendizes de inglês responderam a uma atividade escrita na qual eles declaram se aceitam ou não o uso de perguntas nas quais não há auxiliares na posição inicial da oração, como mostrado nos seguintes exemplos: You remember me?, Everyone well?, You have formed some conclusions?, pois essas estruturas são bastante utilizadas no dia a dia de falantes de inglês como primeira língua, tanto na fala quanto na escrita informal. Nossos resultados mostram que um grande número aprendizes consideram essas estruturas não-aceitáveis, mesmo em usos informais de fala. Portanto, torna-se crucial que professores tenham um maior conhecimento da gramática do inglês falado e que utilizem, sempre que possível, materiais autênticos em suas aulas.

Palavras-chave: gramática do inglês falado, aceitabilidade linguística, formação de perguntas.

Biografia do Autor

Rosi Ana Gregis, Universidade Feevale

Instituto de Ciências Humanas

Letras

Publicado

2020-09-22

Como Citar

GREGIS, R. A. Aceitabilidade de perguntas não-invertidas por aprendizes brasileiros de língua inglesa. Polifonia, [S. l.], v. 27, n. 46, 2020. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/11165. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Outros lugares