Situacionalidade dos corpos em narrativas de experiência: emergências e (re)existências

Autores

  • Mayara de Oliveira Nogueira Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Renata Martins Amaral Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC)

Palavras-chave:

Narrativa, agência, corpo, micropolítica

Resumo

A vida social experenciada em situações espontâneas e institucionais em contexto presencial é o mote central deste trabalho, o qual lança seu olhar sobre os modos como o corpo é construído no aqui e no agora da interação. Ancoramo-nos na perspectiva interacional de se compreender o fenômeno da linguagem e nos voltamos para a emergência das narrativas em fala-em-interação em um almoço entre advogados que militam na chamada Faixa de Gaza capixaba e cuja prática advocatícia se volta exclusivamente para a tutela de direitos trabalhistas e previdenciários dos membros daquela comunidade; e em uma narrativa de experiência construída por uma mulher com câncer de mama durante um evento acadêmico em que se apresentava dados de pesquisa na qual a participante era uma das protagonistas. Com o aporte teórico da Análise da Narrativa, compreendemos que corpos e identidades são formados na performance linguística, isto é, em movimentos narrativos e discursivos nos quais subjetividades são criadas e sedimentadas. De cunho etnográfico e natureza qualitativa, o presente estudo observou com a análise dos dados que em contextos e situações variadas a produção de inteligibilidades sobre corpos desviantes e práticas discursivas de agência e microrresistências organizam a vida e a experiência cotidiana de acordo com referências macrossociológicas.

Biografia do Autor

Mayara de Oliveira Nogueira, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Advogada e Linguista. Pós-doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES/CAPES/FAPES). Doutora em Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio/CNPq). Mestre em Linguística pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES/FAPES). Conselheira Estadual da OAB/ES e Presidente da Comissão de Direitos Sociais da OAB/ES. nogueiradv@hotmail.com.

Renata Martins Amaral, Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC)

maral

Foto*Doutora em Letras/Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), com bolsa pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com bolsa pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), e Bacharel e Licenciada Plena em Letras - português/inglês pela UFRJ, com bolsa de iniciação científica pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 

Referências

AUSTIN, J.L. Quando dizer é fazer: palavras e ações. Porto Alegre: Artes Médicas, [1962] 1990.

BASTOS, L. C. Contando estórias em contextos espontâneos e institucionais – uma introdução ao estudo da narrativa. In: Calidoscópio, vol. 3, n. 2, p. 74-87, mai/ago 2005.

BASTOS, L. C.; BIAR, L. A. Análise de narrativa e práticas de entendimento da vida social. D.E.L.T.A., 31-especial, 2015, pp. 97-126.

BLOMMAERT, J. The sociolinguistics of globalization. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

BONFIM, Marco Antonio Lima do. Linguagem e identidade: o lugar do corpo nas Práticas identitárias raciais. Linguagem em foco – Revista do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da UECE. V. 8, Volume Temático: Linguagem e Raça: diálogos possíveis, N. 2, 2016.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, [1990] 2015.

CLIFFORT, J. Routes. Travel and translation in the late twentieth century. Londres, Harvard University Press, 1997.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2006.

GOFFMAN, E. A situação negligenciada. In: RIBEIRO, B. T; GARCEZ, P. M. Sociolinguística Interacional. São Paulo: Edições Loyola, [1964]2002. pp.13-20.

_______________ A representação do eu na vida cotidiana. 15. ed. Petrópolis: Editora Vozes, [1959] 2013.

GUIMARÃES, M. O. A construção performativa do gênero e da sexualidade nas práticas discursivas de uma lan house. 2009. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). Rio de Janeiro. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2009.

LABOV, W. The transformation of experience in narrative syntax. In: LABOV, W. Language in the inner city. Philadelphia: University of Philadelphia Press, 1972.

LABOV, W. & WALETZKY, J. Narrative Analysis: oral versions of personal experience. In: HELM, J. (Org.). Essays on the verbal and visual arts. Seattle: University of Washington Press, 1967.

LIVIA, Ana; HALL, Kira. “É uma menina!”: a volta da performatividade à Linguística. In: OSTERMANN, Ana Cristina; FONTANA, Beatriz. Linguagem. Gênero. Sexualidade: clássicos traduzidos. (Orgs.) São Paulo, Parábola Editorial, [1997] 2010. P. 109-127.

LODER, L. L.; JUNG, N. M. (Org.).Análises de fala-em-interação institucional: a perspectiva da Análise da Conversa Etnometodológica. Campinas: Mercado de Letras, 2009.

LOURO, G. L. Um corpo estranho. Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

MOITA LOPES, L. P. Gênero, sexualidade, raça em contextos de letramentos escolares. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.) Linguística Aplicada na modernidade recente. São Paulo: Parábola, 2013.pp.227-247.

NOGUEIRA, M. O. Narrativas, prática profissional e ética social: negociação e coconstrução de identidades. 2018. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem). Rio de Janeiro. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2018.

OCHS, E.; CAPPS, L. Living Narrative: Creating Lives in Everyday Storytelling. Harvard: Harvard University Press, 2001.

OLIVEIRA, L. M.; BASTOS, L. C. A performance narrativa de mulheres com afasia. Veredas On-Line. 2015/2 - p. 269-291.

OSTERMANN, A. C. Análise da conversa: o estudo da fala-em-interação.In: OSTERMANN,A. C.; MENEGHEL, A. N. (Orgs.) Humanização, gênero, poder: contribuições dos estudos de fala-em-interação para a atenção à saúde. Campinas: Mercado das Letras, 2012. pp.33-43.

PENNYCOOK, A Continuidade e mudança nas visões de sociedade na Linguística Aplicada. In: MOITA LOPES, L.P. (Org.) Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006.

PINTO, J. Conexões teóricas entre performatividade, corpo e identidades. DELTA, São Paulo, vol. 23, n. 1, 2007. pp.01-26.

PINTO, Joana Plaza; FABRÍCIO, Branca Falabella. Exclusão e microrresistências: a centralidade das práticas discursivo-identitárias. Goiânia: Cânone Editorial, 2013.

SACKS, H. Lectures on conversation. Oxford: Blackwell Publishers, vol. 1 e 2. 1992

SACKS, H., SCHEGLOFF, E., JEFERSON, G. A Simplest Systematic for the Organization of Turn-Taking for Conversation. Language, 50, 696-735, 1974.

SPARGO, T. Foucault y la teoría queer. Barcelona: Gedisa Editorial, 2004.

ZUCCHI, M. A. Outro corpo: inconsiente, sintoma e a clínica do corpo. Petrópolis: KBR, 2015.

Publicado

2021-04-03