Corpos em Alteridade: silêncios e resistência

Autores

Palavras-chave:

Alteridade, silêncio, corpos.

Resumo

Utilizaremos neste artigo o referencial teórico-epistemológico-axiológico do Círculo de Bakhtin, Medviédev e Volóchinov. Um de seus fundamentos é a questão da alteridade, a qual é mutuamente constitutiva: a personalidade falante é produto das interações sociais. Tanto sua vivência interior, quanto sua expressão exterior, constituem um território social. Tais sujeitos, nessa dimensão dialética e dialógica entre o interior e o exterior de sua presença, participam das relações do/no mundo, na/pela linguagem, pelo diálogo entre arquitetônicas. (eu-para-mim, outro-para-mim, eu-para-o-outro). As relações de compreensão e de consciência intersubjetiva passam inevitavelmente pelas fronteiras entre o interior e o exterior que estão dinamicamente assinaladas pelos corpos dos sujeitos. Este artigo tem como objetivos discutir e analisar a) a constituição intersubjetiva e alteritária desses corpos na corrente dos enunciados, tratando os corpos como signos desses enunciados e b) os silêncios que participam dessa corrente enunciativa de corpos, na unidade dos acontecimentos concretos e únicos. Para isso, serão analisados enunciados verbivocovisuais em que tais corpos se constituem enunciativamente como réplicas de resistência pelos silêncios. O corpus, composto por um filme publicitário, será analisado a partir de uma metodologia dialógica e dialética, por meio do cotejo entre os elementos dos enunciados. A descoberta principal da discussão é a percepção de alguns tipos de silêncio, que em diálogo com dizeres, fazeres, compreensões e outros silêncios, constituem-se como resistência. O artigo aponta, também, para a conclusão de que os corpos (físicos e simbólicos) podem ser analisados enquanto elementos enunciativos sob um enfoque bakhtiniano.

 

Palavras-chave: Alteridade, silêncio, corpos.

Resumen

Utilizaremos en este artículo el marco teórico-epistemológico-axiológico del Círculo de Bakhtin, Medviédev y Volóchinov. Uno de sus fundamentos es la cuestión de la otredad, que es mutuamente constitutiva: la personalidad que habla es el producto de las interacciones sociales. Tanto su experiencia interna como su expresión externa constituyen territorio social. Dichos sujetos, en esta dimensión dialéctica y dialógica entre el interior y el exterior de su presencia, participan en las relaciones de / en el mundo, en / a través del lenguaje, a través del diálogo entre los arquitectónicos. (yo-a-mí, otro-a-mí, yo-a-el-otro). Las relaciones de comprensión y conciencia intersubjetiva inevitablemente pasan a través de los límites entre el interior y el exterior que están marcados dinámicamente por los cuerpos de los sujetos. Este artículo tiene como objetivo discutir y analizar a) la constitución intersubjetiva y alterativa de estos cuerpos en la cadena de declaraciones, tratando los cuerpos como signos de estas declaraciones y b) los silencios que participan en esta cadena enunciativa de cuerpos, en la unidad de eventos concretos y únicos. Para ello, se analizarán las declaraciones verbivocovisuales en las que dichos cuerpos se constituyen enunciativamente como réplicas de la resistencia por los silencios. El corpus, compuesto por un video publicitario, se analizará a partir de una metodología dialógica y dialéctica, mediante la comparación de los elementos de las declaraciones. El descubrimiento principal de la discusión es la percepción de algunos tipos de silencio, que en diálogo con dichos, acciones, entendimientos y otros silencios, constituyen resistencia. El artículo también apunta a la conclusión de que los cuerpos (físicos y simbólicos) pueden analizarse como elementos enunciativos bajo un enfoque bakhtiniano.

 

Biografia do Autor

Marco Antonio Villarta-Neder, Universidade Federal de Lavras

Departamento de Estudos da Linguagem. Letras

Referências

BACHTIN, Michail M. Per una filosofia dell´atto responsabile. MICHAIL BACHTIN ED IL SUO CIRCOLO. OPERE 1919-1930. A cura di Augusto Ponzio com la colaborazione di Luciano Ponzio pel la traduzione di russo. Milano: Bompiani, 2014.

BAKHTIN, Mikhail M. Por uma Metodologia das Ciências Humanas. In: BAKHTIN, Mikhail M. Notas sobre literatura, cultura e ciências humanas. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. Notas da edição russa de Serguei Botcharov. São Paulo: Editora 34, 2017 [1975].

BAKHTIN, M. M. Os gêneros do discurso. Tradução e notas de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2016

BAKHTIN, Mikhail. M. Estética da Criação Verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011a [1979].

BAKHTIN, Mikhail. M. Toward a Philosophy of the Act. Tradução Vadim Liupanov. Austin: Texas University Press, 1993.

BAKHTIN, Mikhail M. Estetika Slovesnogo Tvortchéstva. Moskvá: Iskússtivo, 1979.

EINSTEIN, Albert. Apresentação. In JAMMER, Max. Conceitos de Espaço. A história das teorias do espaço na física. Rio de Janeiro: Contraponto/Editora da PUC-RIO, 2010, p. 15-22.

MCCAW, Dick. Corpo em Bakhtin. Bakhtiniana, São Paulo, 14 (3): 35-56, julho/set. 2019.

PAULA, L.; SERNI, N. M. A vida na arte: a verbivocovisualidade do gênero filme musical. Raído, Dourados, v. 11, n. 25, p. 179-180, jan./jun. 2017.

STAFUZZA, G. B.; LIMA, G. O. Diálogo e verbovocovisualidade em ‘Cantada’ (2014) de Porta dos Fundos. PROLINGUA, UFPB, v. 12, n. 2, p. 97-109, set/out. 2017.

TERESINHA. PIAUÍ. Prefeitura Municipal. Fundação Secretaria Municipal de Saúde. O que é pior – isolamento social ou coronavírus ?. Vídeo. Colorido. 1Min59seg. 2020, Disponível em https://youtu.be/x3eZcmkbxbo Acesso em 30 maio de 2020.

VILLARTA-NEDER, Marco A. Verbivocovisualidade no documentário Histórias de quando a água chegou: ato responsável e diálogo na constituição intersemiótica. Revista Estudos Linguísticos, v. 48, n. 3, p. 1657-1672, dez. 2019b.

VILLARTA-NEDER, Marco A. Sobre silêncios e sentidos. In STAFUZZA, Grenissa B.; FONSECA, João Paulo A. Estudos Discursivos em Múltiplas Perspectivas. Discurso, sujeito, sociedade. Campinas/SP: Mercado das Letras, 2019a.

VÓLKOVA AMÉRICO, Ekaterina. Alguns aspectos da Semiótica da Cultura de Iúri Lótman. Tese de Doutorado. Programa de Pós-graduação em Literatura e Cultura Russa. Área de Concentração: Literatura e cultura russa. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2012.

VOLÓCHINOV, Valentin N. Estilística do Discurso Literário II: A construção do enunciado. In VOLÓCHINOV, Valentin N. A palavra na vida e a palavra na poesia. Ensaios, artigos, resenhas e poemas. Organização, tradução, ensaio introdutório e notas de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2019 [1930].

VOLÓCHINOV, Valentin N. Marxismo e Filosofia da Linguagem – problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução, notas e glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2018 [1929].

Publicado

2021-04-03