Uma flâuneur pós-moderna: a conquista de uma cidade hostil por meio da escrita no romance de Paloma Vidal

Autores

Palavras-chave:

literatura de autoria feminina, protagonista feminina, deslocamentos espaciais e identitários.

Resumo

A literatura de autoria feminina do século XXI têm enfocado temáticas mais abrangentes e relacionadas ao mundo contemporâneo. Nesse sentido, o espaço pelo qual circulavam personagens masculinos, como as ruas das grandes metrópoles, tem servido de cenário para a preambulação e lugar de fala de personagens mulheres. Nesse sentido, o romance Algum lugar, publicado em 2009 pela escritora Paloma Vidal, apresenta uma flâneur contemporânea que, em seu deslocamento espacial para e por Los Angeles, cidade considerada imapeável e hostil, convive com os constantes deslocamentos linguísticos, culturais e afetivos. Nesse artigo, temos como objetivo refletir sobre o contínuo deslocamento da protagonista e como isso se transforma em aprendizado e em uma conquista da cidade por meio da escrita.

Biografia do Autor

Wilma dos Santos Coqueiro, Universidade Estadual do Paraná/campus Campo Mourão

Docente Adjunta do Colegiado de Letras, da Universidade Estadual do Paraná/ campus de Campo Mourão. Doutora em Estudos Literários pela Universidade Estadual de Maringá - UEM (2014). Tem trabalhos na área de literatura de autoria contemporânea.

Referências

AUGÉ, Marc. Não-Lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade. Tradução Maria Lúcia Pereira. 5. ed. Campinas: Papirus, 2005.

BAUDELAIRE, Charles. O pintor da vida moderna. In: ______ . Prosa e Poesia. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2006.

BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as consequências humanas. Tradução Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade liquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. O Mal estar na pós-modernidade. Tradução Mauro Gama e Claudia Martinelli Gama. Rio de Janeiro, Zahar, 1998.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo. Tradução José Martins Barbosa e Hamerson Alves Baptista. São Paulo: Brasiliense, 1989. (Obras escolhidas; v. 3).

BENJAMIN, Walter. Rua de mão única. Tradução Rubens Rodrigues Torres Filho e José Carlos Martins Barbosa. São Paulo: Brasiliense, 1987 (Obras escolhidas; v. 2).

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. Tradução Carlos Felipe Moisés e Ana Maria Ioriatti. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CEVASCO, Elisa Maria. Dez lições sobre Estudos Culturais. São Paulo: Boitempo Editorial, 2003.

DALCASTAGNÉ, Regina. Literatura Brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo: Editora Horizonte, 2012.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 11.ed. Rio de Janeiro: DP&A editora, 2011.

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria e ficção. Tradução Ricardo Cruz. Rio de janeiro: Imago, 1991.

JOHNSON, Richard. O que é, afinal, Estudos Culturais? In: SILVA, Tadeu Tomaz da (organização e tradução). O que é, afinal, Estudos Culturais? Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

POE, Edgar Allan. Histórias extraordinárias. Seleção, tradução e apresentação José Paulo Paes. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

RAGO, Margareth. A aventura de contar-se: feminismos, escrita de si e invenções da subjetividade. Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

VIDAL, Paloma. Algum lugar. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009

.

VIDAL, Paloma. Memória e origens voltam a tematizar obra de Paloma Vidal. Entrevista a Bruno Gheti. 2012. Disponível em: http://www.saraivaconteudo.com.br/Entrevistas/Post/46502 Acesso em: 25 fev. 2014.

ZOLIN, Lucia Osana. Literatura de autoria feminina. In ZOLIN, Lúcia Osana; BONNICI, Thomas (orgs.). Teoria literária: abordagens e tendências contemporâneas. 4. ed. rev. e ampl. Maringá: Eduem, 2019.

Publicado

2020-10-05