O ESTADO DA ARTE NO ESTUDO DOS VERBOS EM KAINGANG

Autores

  • Luana Camila Costa luuanacosta97@hotmail.com
    Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, na Universidade Estadual de Londrina https://orcid.org/0000-0001-6680-7665
  • Isabella Medeiros Ferro isabella.ferro@hotmail.com
    Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, na Universidade Estadual de Londrina https://orcid.org/0000-0003-0299-7134
  • Marcelo Silveira celosilveira@gmail.com
    Universidade Estadual de Londrina https://orcid.org/0000-0002-6084-1325

Palavras-chave:

Kaingang, verbo, estado da arte

Resumo

A pesquisa que apresentamos tem o objetivo de conhecer o estado da arte do estudo dos verbos na Língua Kaingang. O interesse por estudar essa língua Jê tem aumentado na última década, com consequente aumento no número de trabalhos publicados; estudar os verbos é, também, um passo importante para a organização e sistematização dos dados, com o objetivo de, nesta revisão bibliográfica, conhecer o que já foi feito sobre a classe dos verbos na língua em questão e refletir sobre eles. O resultado dessa metodologia, juntamente com as bases teóricas usadas nos textos analisados, apontará para o que ainda é necessário ser feito com relação ao assunto, bem como para as mudanças que possam ter ocorrido na língua, verificando a data da publicação, as teorias que embasaram os trabalhos, os dialetos, as semelhanças e diferenças entre as conclusões, uma vez que intentamos a publicação de um caderno compilando os dados para um encerramento preliminar sobre essa classe gramatical, fazendo, futuramente, o mesmo com as outras classes gramaticais, com base, principalmente na pesquisa com os colaboradores da Terra Indígena (T.I.) Apucaraninha, situada na cidade de Tamarana-PR. Verificamos que há a necessidade de que mais estudos sobre o verbo sejam realizados, considerando que a base teórica dos estudos é mormente tipológico-funcional. Além disso, ressaltamos que pesquisas relacionadas à variação linguística (sociolinguística) requerem atenção, visto que são fundamentais para o estudo da língua.

Biografia do Autor

Luana Camila Costa, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, na Universidade Estadual de Londrina

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, na Universidade Estadual de Londrina

Isabella Medeiros Ferro, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, na Universidade Estadual de Londrina

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, na Universidade Estadual de Londrina

Marcelo Silveira, Universidade Estadual de Londrina

Docente do Departamento de Letras Vernáculas e Clássicas, Universidade Estadual de Londrina

Referências

ALMEIDA, L. de. A marcação de (tempo), modo e aspecto na língua Kaingang: Uma proposta de análise. 2008. 123 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?view=vtls000129112>. Acesso em: 05 set. 2018.

ANDRADE, T. S. M. de. As orações verbais simples em Kaingang: uma proposta de análise. 2012. 132 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?view=vtls000176625>. Acesso em: 10 set. 2018.

CUNHA, M. A. F. da; SOUZA, M. M. de. A transitividade e seus contextos de uso. São Paulo: Cortez, 2011.

D’ANGELIS, W. da R. A língua Kaingang. Campinas, 2006. Disponível em: <http://www.portalkaingang.org/Lgua_Kaingang.pdf>. Acesso em: 26 maio 2020.

D’ANGELIS, W. da R. Concordância verbal de número em Kaingáng: algumas pistas. Liames, Campinas, v. 4, n. 1, p. 71-81, 2004.

D’ANGELIS, W. da R. O primeiro século de registro da língua Kaingang (1842-1950): valor e uso da documentação etnográfica. Campinas, 2003. Disponível em: <http://www.portalkaingang.org/Primeiros100anos.pdf>. Acesso em: 26 maio 2020.

D’ANGELIS, W. da R. Pensar o Proto-Jê Meridional e revisitar o Proto-Jê, numa abordagem pragueana. Relatório Acadêmico (Estágio Pós-Doutoral em Linguística Histórica) – Laboratório de Línguas Indígenas (LALI), Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?down=66181>. Acesso em: 12 jun. 2020.

D’ANGELIS, W. da R. Áreas Kaingang. Portal Kaingang. Brasília, 2007. Disponível em: <http://www.portalkaingang.org/index_aldeia_mapa_geral_g.htm>. Acesso em: 12 jun. 2020.

DOMINGUES, G. Descrição morfossintática do nome e do verbo no Kaingang. 2013. 115 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2013. Disponível em: <http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/junho2016/disciplinas_dissertacoes/dissertacao_gislaine_domingues.pdf>. Acesso em: 05 set. 2018.

FELISBINO, D. M. Variação diastrática na língua Kaingang: o verbo ir. 2018. 47 f. Monografia (Especialização em Língua Portuguesa) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2018.

GONÇALVES, S. A. Aspecto no Kaingang. 2007. 207 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Linguística, Linguística, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007. Disponível em: <http://etnolinguistica.wdfiles.com/local--files/tese%3Agoncalves-2007/Goncalves_SolangeAparecida_M.pdf>. Acesso em: 10 abr. 2018.

GONÇALVES, S. A. A expressão de Tempo na língua Kaingang (Jê). Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 249-285, abr. 2009. Disponível em: <http://www.gel.org.br/estudoslinguisticos/volumes/38/EL_V38N1_20.pdf>. Acesso em: 02 set. 2018.

GONÇALVES, S. Aspecto na língua Kaingang (Jê). Sínteses, Campinas, v. 13, p. 97-119, 2008. Disponível em: <http://revistas.iel.unicamp.br/index.php/sinteses/article/view/826/577>. Acesso em: 02 set. 2018.

GONÇALVES, S. A. Aspecto no Kaingang: uma proposta de discussão. Anais do Seta, Campinas, v. 1, n. 1, p. 493-499, jan. 2007. Disponível em: <http://revistas.iel.unicamp.br/index.php/seta/article/view/316/278>. Acesso em: 05 ago. 2018.

GONÇALVES, S. A. Perfectividade no Kaingang Sul (Jê). Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 41, n. 1, p. 220-230, abr. 2012.

GONÇALVES, S. A. Perspectiva temporal no discurso Kaingang: algumas pistas para investigação. Guavira Letras, Três Lagoas, v. 8, p. 39-52, mar. 2009.

GONÇALVES, S. A. Tempo, aspecto e modo em contextos discursivos no Kaingang Sul (Jê). 2011. 294 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/268993>. Acesso em: 19 ago. 2018.

GONÇALVES, S. A. Tempo, aspecto e modo na língua Kaingang do Sul (Jê) em contextos discursivos: uma discussão inicial. Seta, Campinas, v. 3, p. 881-891, 2009. Disponível em: <http://revistas.iel.unicamp.br/index.php/seta/article/view/515/464>. Acesso em: 02 set. 2018.

IBGE. Censo Demográfico, 2010. Disponível em: <https://indigenas.ibge.gov.br/>. Acesso em: 12 jun. 2020.

LABOV, W. O estudo da língua em seu contexto social. In: ______. Padrões sociolinguísticos. Tradução de Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola, 2008, p. 215-199.

LIMA E SILVA, M. de. Português indígena Kaingang: uma questão de concordância. 2011. 138 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011. Disponível em: <http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/269215>. Acesso em: 02 set. 2018.

NASCIMENTO, M. Evidencialidade em Kaingang: Descrição, processamento e aquisição. 2017. 184 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: <http://poslinguistica.letras.ufrj.br/images/Linguistica/3-Doutorado/teses/2017/Tese-NascimentoM.compressed.pdf>. Acesso em: 15 set. 2018.

NASCIMENTO, M. Tempo, modo, aspecto e evidencialidade em Kaingang. 2013. 101 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: <http://etnolinguistica.wdfiles.com/local--files/tese%3Anascimento-2013/nascimento_2013_kaingang.pdf>. Acesso em: 15 set. 2018.

NASCIMENTO, M; MAIA, M.; COUTO, L. R. Tempo e evidencialidade na língua Kaingang: uma abordagem experimental. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 51, n. 3, p. 402-411, set. 2016. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/viewFile/22543/14890>. Acesso em: 30 ago. 2018.

PERINI. M. A. Estudos de gramática descritiva. São Paulo: Parábola, 2007.

SILVA, M. S. R. da. A língua Kaingáng da aldeia paulista Icatu: uma descrição funcional. 2011. 261 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, 2011. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/100118>. Acesso em: 10 set. 2018.

TABOSA, L. P. Construções causativas da língua Kaingang. 2006. 87 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Letras, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2006. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?view=vtls000114092>. Acesso em: 01 set. 2018.

TABOSA, L. P. Orações complexas da língua Kaingang. 2014. 255 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2014. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?view=vtls000201282>. Acesso em: 05 set. 2018.

TABOSA, L. P.; SANTOS, L. C. dos. As dimensões semântica e sintática das orações completivas em Kaingang. E-scrita, Nilópolis, v. 3, n. 3, p. 232-246, ago. 2013. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2018.

TABOSA, L. P.; SANTOS, L. C. dos Coordenação na língua Kaingang. Entretextos, Londrina, v. 3, n. 1, p. 192-213, jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 07 set. 2018.

TABOSA, L. P.; SANTOS, L. C. dos Relativização na língua Kaingang. Signum: Estudos Linguísticos, Londrina, v. 2, n. 16, p. 293-325, dez. 2013. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/viewFile/15698/14020>. Acesso em: 10 set. 2018.

TESNIÉRE, L. Éléments de syntaxe structurale. Paris: Librairie C. Klincksieck, 1959.

WIESEMANN, U. G. Dicionário Kaingang-Português Português-Kaingang. 2. ed. Curitiba: Editora Evangélica Esperança, 2011.

WIESEMANN, U. Os dialetos da língua Kaingáng e o Xokléng. Arquivos de anatomia e Antropologia, Rio de Janeiro. v. 3, p. 199-217, 1978.

Publicado

2021-03-25

Como Citar

COSTA, L. C.; FERRO, I. M.; SILVEIRA, M. O ESTADO DA ARTE NO ESTUDO DOS VERBOS EM KAINGANG. Polifonia, [S. l.], v. 27, n. 48, 2021. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/10650. Acesso em: 21 jun. 2024.