A ESCRITA ACADÊMICA ENDEREÇADA: REFLEXÕES SOBRE A PRESENÇA DO LEITOR NO DIZER DO PESQUISADOR

Autores

Palavras-chave:

Escrita acadêmica, Interlocutor pressuposto, Negociações de sentido

Resumo

Neste artigo, realizamos uma parada reflexiva sobre a relação dialógica entre o sujeito e seus interlocutores, impressa na escrita acadêmica. Partindo do pressuposto de que todo enunciado é produzido levando em conta a compreensão responsiva do sujeito sobre a situação enunciativa e sobre seus destinatários, delimitamos como objetivo deste artigo desvelar as negociações de sentido entre o pesquisador e seus interlocutores na escrita acadêmica de pesquisadores em formação. Os objetos de análise são duas teses de doutorado, que tratam sobre o ensino da produção de texto na sala de aula, coletadas no Banco de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O caminho metodológico seguido consiste em observar, nessas teses, as negociações que mostram a escrita endereçada a leitores, enquanto representantes de grupos sociais, com os quais o pesquisador interage na produção de sua investigação científica. As análises permitiram verificar diferentes níveis de alteridade e como o sujeito responde a interlocutores de diferentes esferas comunicativas.

Biografia do Autor

Katia Cilene Ferreira França, Universidade Federal do Maranhão

Tem graduação em Letras pela Universidade Federal do Maranhão (2001), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (2009) e doutorado em Estudos da Linguagem, área de concentração em estudos da Linguística Teórica e Descritiva, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2018). Atualmente é professora de Língua Portuguesa, do curso de Linguagens e Códigos, da UFMA- Campus São Bernardo.Tem experiência na área de Letras, com ênfase em: ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa, leitura e escrita na Educação Básica, escrita acadêmica.

Referências

AUROUX, Sylvain. A questão sobre a origem das línguas seguido de A historicidade das ciências. Campinas, SP: Editora RG, 2008.

AUTHIER-REVUZ, Jaqueline A não-coincidência interlocutiva e seus reflexos metaenunciativos. IN: AUTHIER-REVUZ, Jaqueline. Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

AMORIM, Marília. O pesquisador e seu outro: Bakhtin nas Ciências Humanas. São Paulo: Musa Editora, 2004.

BAKHTIN, Mikhail. (2003) Estética da criação verbal. 4ª ed. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

____________. Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010. Disponível em: <https://netlli.wordpress.com/2011/09/08/obras-de-bakhtin-disponiveis-em-pdf-em-nosso-banco-de-dados>. Acesso em: 04. junho.2016.

ECO, Umberto. Como se faz uma tese. 25ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2014.

ELIAS, Norbet. Envolvimento e alienação. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. 15ªed. São Paulo: Edições Loyola, 2007.

FRANÇA, Katia Cilene Ferreira. A filiação teórica na escrita do pesquisador em formação: uma análise sobre a genealogia do dizer acadêmico pelas formas da língua. 2018. 176f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN, 2018.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Linguística Geral. 27ª ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

VOLOCHINOV, V.N. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Volkova Américo – São Paulo: Editora 34, 2017.

Publicado

2021-04-03