GRUPO ABRACADABRA - CONTADORES DE HISTÓRIAS: A TESSITURA DE LEITORES POR MEIO DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS EM 23 ANOS DE EXTENSÃO

Autores

  • Maria Claudino da Silva Universidade Federal de Mato Grosso

Palavras-chave:

Grupo Abracadabra, contadores de histórias. Extensão. Leitura. Formação de Leitores. Contação de Histórias.

Resumo

Este Artigo objetiva apresentar o Projeto de Extensão “Grupo Abracadabra: contadores de histórias”, desenvolvido no Câmpus Universitário do Araguaia/Universidade Federal de Mato Grosso. Esse projeto existe desde o ano de 1994, completando, neste ano de 2017, 23 anos de incentivo à formação de leitores, por meio da contação de histórias, a partir da Literatura Infantil/Juvenil. Neste texto, são apresentados os dois suportes sobre os quais o projeto é desenvolvido: o suporte teórico que se sustenta na Linguagem, Educação, Leitura, Literatura Infantil e Juvenil e Formação do Leitor. O outro suporte, denominado prático, é balizado pela prática da contação de histórias, que ocorre em creches, escolas, eventos, para um público da Educação Infantil e jovens. Por meio da arte de contar histórias, esta atividade extensionista objetiva a formação de um sujeito/leitor capaz de compreender a sua presença do/no mundo, entendendo, também, as várias possibilidades de leituras, bem como os seus direitos e deveres como cidadão em uma determinada comunidade/sociedade. Trata-se de um trabalho a longo prazo, mas que, considerando o tempo de 23 anos ininterruptos de existência, já apresenta frutos valiosos no entrelaçamento do ensino, extensão e pesquisa, no Curso de Letras do Instituto de Ciências Humanas e Sociais do Câmpus Universitário do Araguaia/UFMT.

Biografia do Autor

Maria Claudino da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso

Curso de Letras/Instituto de Ciências Humanas e Sociais/CUA/UFMT. Professora Graduada em Letras/UFMT; Mestre em Educação/UFMT – Adjunto III

Referências

BORDINI, Maria da Glória e AGUIAR, Vera Teixeira de. Literatura: a formação do leitor. Alternativas metodológicas. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Educação. São Paulo: Brasiliense, 2007.

CAVALCANTI, Joana. Caminhos da Literatura Infantil e Juvenil. Dinâmicas e vivências na ação pedagógica. São Paulo: Ática, 2002.

CHAUÍ, Marilena. Filosofia. São Paulo: Ática, 2002.

FURASTÉ, Pedro Augusto. Normas técnicas para trabalho científico. Explicitação das normas da ABNT. Porto Alegre: s/n, 2015.

MARTINS, Maria Helena. O que é Leitura. São Paulo: Brasiliense, 1985.

REBELLO, Ilana da Silva. O texto e suas múltiplas possibilidades de leitura: pressupostos e subentendidos. In: BAALBAKI, Angela et al (Org.) Linguagem, Teoria, Análise e Aplicações. PPGUERJ. Rio de Janeiro, 2015.

SANTOS, Estela. Antonio Candido: a literatura como direito do ser humano. In: Revista Homo Literatus. Universidade Estadual de Maringá-PR. Maringá, 2015.

SILVA, Maria Claudino da. Grupo Abracadabra: contadores de histórias – a extensão do ICLMA/UFMT fazendo histórias e leituras. In: VIVA: Extensão em Revista. UFMT. Cuiabá: EdUFMT, 2007.

Downloads

Publicado

2019-03-19