REPERCUSSÃO DO AMBIENTE UNIVERSITÁRIOS EM FATORES COMPORTAMENTAIS, BIOQUÍMICOS E PSICOLÓGICO NO CÂMPUS ARAGUAIA

Autores

  • Victor Vitorino Lima Universidade Federal de Mato Grosso
  • Fernanda Regina Giachini
  • Josilene Dália Alves
  • José Henrique Barros da Silva
  • Flavia Rodrigues Santana

Palavras-chave:

Risco cardiovascular, universitários, fatores de risco.

Resumo

A saúde favorece o desenvolvimento social, econômico e pessoal. O conhecimento de aspectos relacionados à saúde dos estudantes universitários garante a criação de condições para que possam desenvolver suas aptidões e capacidades individuais. Nesse sentido, a promoção da saúde se encontra estreitamente vinculada à eficácia da sociedade em garantir a implantação de políticas públicas voltadas para a qualidade de vida. O presente projeto teve como objetivo atuar na promoção de saúde no âmbito universitário visando à prevenção e diagnóstico de possíveis fatores de risco para o surgimento de doenças cardiovasculares (DCVs) em adolescentes universitários. É válido lembrar que segundo a Organização Mundial de Saúde as DCVs foram a maior causa de morte por doenças não transmissíveis em 2014. Em relação aos alunos envolvidos na elaboração deste projeto, a ação extensiva teve como intuito a aplicação prática e teórica com temas interdisciplinaridade, associados com as disciplinas de bioquímica, patologia, assistência farmacêutica, saúde pública, biossegurança e estatística. Já os alunos alvo deste projeto nos auxiliaram a melhor entender a relação entre a medicina baseada em evidencias clínicas, com os fatores de risco associados à DCVs, tais como: hipertensão, obesidade, consumo de álcool, estresse, dislipidemia, disfunção hepática, hábitos sociais e sedentarismo. Para atingirmos o objetivo deste projeto, foram realizadas 1037 análises em 61 universitários. Após as análises e reflexão, constatou-se a vulnerabilidade da população estudada, em relação à precária assistência estudantil, seja no aspecto de saúde física, como psicológica.

Biografia do Autor

Victor Vitorino Lima, Universidade Federal de Mato Grosso

Professor e Doutor

UFMT - Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde

 

 

Fernanda Regina Giachini

UFMT - Instituto de Ciências Biológicas e da
Saúde

Josilene Dália Alves

UFMT - Instituto de Ciências Biológicas e da
Saúde

José Henrique Barros da Silva

UFMT - Instituto de Ciências Biológicas e da
Saúde

Flavia Rodrigues Santana

UFMT - Instituto de Ciências Biológicas e da
Saúde

Referências

ALVAREZ, M. et al. Associação das medidas antropométricas de localização de gordura central com os componentes da síndrome metabólica em uma amostra probabilística de adolescentes de escolas públicas. Arq Bras Endocrinol Metab . 52 (4), 2008. v. 52, n. 4, p. 2008, 2008.

BRASIL. I levantamento nacional sobre o uso de álcool, tabaco e outras drogas entre universitários das 27 capitais brasileiras. Secretaria Nacional, p. 282, 2010.

CHIELLE, E.; ROCHA, A. Avaliação do perfil hepático na obesidade adulto-jovem. Unoesc & Ciência. 6(1): 15 - 22, 2015. v. 6, n. 1, p. 15–22, 2015.

COUTINHO, M. P. L. Depressão infantil e representação social. João Pessoa: Universitária. 2005

FALLIS, A. . Vida Universitária E Saúde Mental: Atendimento Às Demandas De Saúde E Saúde Mental De Estudantes De Uma Universidade Brasileira. Journal of Chemical Information and Modeling, v. 53, n. 9, p. 1689–1699, 2013.

FARIAS JUNIOR, J. C.; MENDES J.K.F.; BARBOSA D.B.M.; LOPES A.S. Fatores de risco cardiovascular em adolescentes: prevalência e associação com fatores sociodemográficos. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 14, n. 1, p. 50-62, 2011. p. 50–62, 2011.

FERREIRA, Berta Weil. Identidade Ideológica dos estudantes universitários. Revista Educação – EdiPUCRS, ano XIX, n. 30, p 99-105. Porto Alegre: 1996.

INEP. INEP. Censo da Educação Superior 2014 - Notas Estatísticas . 15 p. Disponível em: <http://www.inep.gov.br>. Acesso em março de 2017. p. 2017, 2014.

JORA N.P.; MAGALHÃES T.R.; DOMINGOS J.B.C.; PILLON S.C. Campanha saúde na estrada: avaliação do padrão de consumo de álcool e do estresse. Rev. Eletr. Enf. [Internet], v.12, n.1, p37-46, 2010.

LIMA, W.; GLANER, M. Principais fatores de risco relacionados às Doenças Cardiovasculares. Rev. Bras.Cineantropom. Desempenho Hum. International Journal of Obesity, v. 21, n. 3, p. 96–104, 2006a.

LIMA, W.; GLANER, M. Principais fatores de risco relacionados às Doenças Cardiovasculares. Rev. Bras.Cineantropom. Desempenho Hum. 8 (1): 96 – 104, 2006. v. 8, n. 1, p. 96–104, 2006b.

MEC. MEC. Maioria é feminina em ingresso e conclusão nas universidades em 2015 . Disponível em: <http://portal.mec.gov.br>. Acesso em março de 2017. 2015.

MINCIS, M.; MINCIS, R. Doença hepática alcoólica: diagnóstico e tratamento. Prática Hospitalar. 8(48): 113 - 118, 2006. v. 8, n. 48, p. 113–118, 2006.

MONTEIRO, C. F. DE S.; FREITAS, J. F. DE M.; RIBEIRO, A. A. P. Estresse no cotidiano acadêmico: o olhar dos alunos de enfermagem da Universidade FederaL do Piauí. 2007.

PRADO, D. et al. Uso de álcool e drogas ilícitas por estudantes de farmácia da Universidade Federal de Goiás. Infarma. 18(12): 1 – 7, 2006. v. 18, n. 12, p. 1–7, 2006.

RIOS, O. DE F. LEITE. Níveis de stress e depressão em estudantes univeritários. 2006.

SANTOS, M. G. DOS et al. Fatores de risco no desenvolvimento da aterosclerose na infância e adolescência. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 90, n. 4, p. 301–308, abr. 2008.

SBN. Sociedade Brasileira de Nefrologia - SBN . E-book: Biomarcadores na Nefrologia. 2011 . Disponível em: <http://arquivos.sbn.org.br/pdf/biomarcadores.pdf.> Acesso em: março de 2017.

SOUZA, F.I.S. et al. Doença hepática gordurosa não alcoólica em escolares obesos. Revista Paulista de pediatria, São Paulo, v.26, p. 136-141, 2008.

VEIGAS, J. A Influência do Exercício Físico na Ansiedade , Depressão e Stress. Stress: The International Journal on the Biology of Stress, p. 1–19, 2009.

Downloads

Publicado

2019-03-14