Variação em propriedades da madeira de Pinus caribaea var. hondurensis e Pinus tecunumanii

Authors

  • ISRAEL LUIZ DE LIMA Instituto Florestal São Paulo Estação Experimental de Tupi http://orcid.org/0000-0002-4868-6414
  • Ivanka Rosada de OLIVEIRA Universidade de São Paulo -Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
  • Juraci de Andrade BARBOSA Universidade Nove de Julho
  • Maurício Ranzini Instituto Florestal do Estado de São Paulo - IF Estação Experimental de Tupi - SP

DOI:

10.34062/afs.v7i4.10262

Keywords:

Pinus, Anatomia, Densidade básica, Traqueíde.

Abstract

Este estudo teve como objetivo caracterizar as propriedades da madeira de Pinus caribaea var. hondurensis e Pinus tecunumanii, em indivíduos de 50 anos de idade, na região de Itirapina, SP. Para isso, foram abatidas cinco árvores de cada espécie, e destas retirados um disco de 7 cm de espessura do diâmetro à altura do peito (DAP). De cada disco foram coletadas amostras em cinco posições diferentes, no sentindo medula-casca, para avaliar as seguintes propriedades: densidade básica, comprimento de traqueíde, espessura da parede de traqueíde, resistência ao cisalhamento e a retração volumétrica. Foi verificado que o Pinus caribaea var. hondurensis e o Pinus tecunumanii não diferem significativamente para as propriedades avaliadas. Entretanto, variaram significativamente, no sentido da medula-casca, para todas as propriedades. A densidade básica, comprimento de traqueíde e a retração volumétrica apresentaram uma tendência crescente no sentido da medula à casca. Para Pinus caribaea var. hondurensis ocorreram correlações positiva entre posição radial com: densidade básica, comprimento e espessura da parede de traqueídes. Com o Pinus tecunumanii ocorreram correlações entre posição radial com: densidade básica, espessura da parede de traqueídes e retração volumétrica.

Author Biographies

ISRAEL LUIZ DE LIMA, Instituto Florestal São Paulo Estação Experimental de Tupi

possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade de São Paulo (1993), mestrado em Ciência e Tecnologia de Madeiras [Esalq] pela Universidade de São Paulo (2000) e doutorado em Recursos Florestais pela Universidade de São Paulo (2005). Atualmente é pesquisador científico VI do Instituto Florestal do Estado de São Paulo. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Tecnologia e Utilização de Produtos Florestais: efeito do manejo florestal na qualidade da madeira de espécies exóticas e nativas; Melhoramento genético da qualidade da madeira de espécies exóticas e nativas; Processamento mecânico da madeira; Tensão de crescimento; Propriedades físicas e mecânicas das madeiras; Relações água-madeira e secagem.

Ivanka Rosada de OLIVEIRA, Universidade de São Paulo -Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"

Aluna de pós gradualçao da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - USP na área de Manejo e Silvicultura com ênfase em nutrição e fertilização florestal.

Juraci de Andrade BARBOSA, Universidade Nove de Julho

Aluno de Engenharia Civil da Universidade Nove de Julho

Maurício Ranzini, Instituto Florestal do Estado de São Paulo - IF Estação Experimental de Tupi - SP

Pesquisador atualmete é pesquisador científico VI do Instituto Florestal do Estado de São Paulo - Estação Experimental de Tupi.

References

Referências

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas (1940). Ensaios Físicos e Mecânicos de madeira. MB 26/40. Rio de Janeiro. 16 p.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas (2003). NBR 11941: Madeira: determinação da densidade básica. Rio de Janeiro. 6 p.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas (1997). NBR 7190: Projeto de Estruturas de Madeiras. São Paulo. 107 p.

Ballarini AW, Palma HAL (2003). Propriedades de resistência de madeira juvenil e adulta de Pinus taeda L.. Revista Árvore, 27(3): 371-380. doi.org/10.1590/S0100-67622003000300014

Cancian PRM (2016). Araucária: raízes da industrialização. Caxias do Sul: Educs. 173 p.

Corrêa, RS, Bellote, AFJ (2011). Influência do solo na dimensão dos traqueídeos e densidade da madeira em Pinus caribaea var. hondurensis. Pesquisa Florestal Brasileira, 31(66): 93-102. dx.doi.org/10.4336/2011.pfb.31.66.93.

Goncalez, JC, Santos, N, Silva Junior, FG, Souza, RS., De Paula, MH (2018). Growth ring width of Pinus caribaea var. hondurensis and its relationship with wood proprieties. Scientia Forestalis, 46(118): 309-317. dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n118.16.

Hillis WH, Brown, AG (1984). Eucaliptos for wood production. Melbourne: CSIRO. 434 p.

IBÁ. Indústria Brasileira de Árvores (2019). Relatório Ibá 2019. São Paulo: Ibá. 80 p. Disponível em:< https://iba.org/datafiles/publicacoes/relatorios/iba-relatorioanual2019.pdf>, Acesso em: 19 dez. 2019.

IPEF. Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (2019). Eucalyptus no Brasil - Zoneamento Climático e Guia para Identificação. Disponível em: <http://www.ipef.br/publicacoes/guiaeucalyptus/aptidao.aspx>. Acesso em: 19 dez. 2019.

Johansen, DA (1940). Plant microtecniques. New York: McGraw-Hill. 523 p.

Kronka, FJN, Bertolani, F, Ponce, RH (2005). A cultura de Pinus no Brasil. São Paulo: Páginas & letras. Sociedade Brasileira de Silvicultura. p. 154.

Latorraca, JVF, Albuquerque, CEC (2000). Efeito do rápido crescimento sobre as propriedades da madeira. Floresta e Ambiente, v. 7, n. 1, p. 279-291.

Lorenzi, H, Bacher, LB, Torres, MAV (2018). Árvores e Arvoretas exóticas no Brasil: madeireiras, ornamentais e aromáticas. Nova Odessa: Instituto Plantarum. 464 p.

Malan, FS (1995). Eucalipts improvement for lumber production. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL E UTILIZAÇÃO DA MADEIRA DE EUCALIPTO PARA SERRARIA, 1., 1995, São Paulo. Anais... Piracicaba: IPEF;IPT;IUFRO;ESALQ. p. 1-19.

Melo, RR (2015). Radial and longitudinal variation of Pinus taeda L. wood basic density in different ages. Revista de Ciências Agrárias, 58(2): 192-197. doi.editoracubo.com.br/10.4322/rca.1839.

Melo, RR, Silvestre, R, Oliveira, TM, Pedrosa, TD (2013).Variação radial e longitudinal da densidade básica da madeira de Pinus elliottii Engelm. com diferentes idades. Revista Ciência da Madeira, 4(1): 83-92. dx.doi.org/10.15210/cmad.v4i1.4057.

Moura, VPG, Vale, AT, Isaias, FB (2004). Comparação entre dois métodos de avaliação da variabilidade genética em volume, densidade básica da madeira e matéria seca de Pinus tecunumanii (Schwd) Eguiluz e Perry. Ciência Florestal, 14(1): 77-84. dx.doi.org/10.5902/198050981783.

Oluwafemi, OA (2007). Wood properties and selection for rotation length in Caribbean pine (Pinus caribaea Morelet) grown in Afaka, Nigeria. American-Eurasian Journal of Agricultural & Environmental Sciences. 2(4): 359-363. idosi.org/aejaes/jaes2(4)/6.pdf

Palermo, GPDM, Latorraca, JVF, Severo, ETD, Do Nascimento, AM, Rezende, MA (2013). Delimitação entre os lenhos juvenil e adulto de Pinus elliottii Engelm. Revista Árvore, 37(1): 91-200. doi.org/10.1590/S0100-67622013000100020.

Rios, PDA, Vieira, HC, Pereira, GF, Turmina, E, Nicoletti, MF (2018). Variação radial e longitudinal da densidade básica da madeira de Pinus patula. Pesquisa Florestal Brasileira, 38(1): 1-5. dx.doi.org/10.4336/2018.pfb.38e201501016.

Santos, W, Silva, MSC, Deniz, LD, Kieras, WS, Shimizu, JY, Sousa, VA, Aguiar, AV (2018). Identificação de Procedências e Progênies de Pinus maximinoi com potencial produtivo para madeira. Scientia Forestalis, 46(117): 127-136. dx.doi.org/10.18671/scifor.v46n117.12.

SAS. Statistical Analysis System (1999). SAS Procedures guide: version 8 (TSMO). SAS: Cary, N.C.

Sebbenn, AM, Shimizu, JY, Aguiar, AV (2008). Produção de resina de Pínus e melhoramento genético. In: Shimizu, JY. Pínus na silvicultura brasileira. Colombo: Embrapa. 223p.

Shimoyama, VRS, Wiecheteck, MSS (1993). Características da madeira e da pasta termomecânica Pinus patula var. tecunumanii para produção de papel imprensa. Série Técnica IPEF, 6(27): 63-80. ipef.br/publicacoes/stecnica/nr27/cap06.pdf

Sousa, RC, Giovanini, EP, Lima, IL, Florsheim, SMB, Garcia, JN (2007). Efeito da idade e da posição radial na densidade básica e dimensões dos traqueídeos da madeira de Pinus taeda L. Revista do Instituto Florestal, 19(2): 119-127. smastr16.blob.core.windows.net/iflorestal/ifref/RIF19-2/RIF19-2_119-127.pdf

Torres, LF, Melo, R, Colodette, JL (2005). Bleached kraft pulp production from Pinus tecunumanii (Eguiluz e Perry). Revista Árvore, 29(3): 489-494. doi.org/10.1590/S0100-67622005000300017.

Trianoski, R, Matos, JLM, Iwakiri, S, Prata, JG (2014). Avaliação das propriedades mecânicas da madeira de especies de Pinus tropicais. Scientia Forestalis, 42(101): 21-28. ipef.br/publicacoes/scientia/leitura.asp?Article=02&Number=101

Trianoski, R, Matos, JLM, Iwakiri, S, Prata, JG (2013). Variação longitudinal da densidade básica da madeira de espécies de Pinus tropicais. Floresta, 43(3): 503-510. dx.doi.org/10.5380/rf.v43i3.28252.

Winck, RA, Fassola, HE, Área, MC (2015). Efecto del raleo sobre las propiedades anatómicas de la madera de Pinus taeda. Maderas. Ciencia y tecnología, 17(2): 391-406. dx.doi.org/10.4067/S0718-221X2015005000037.

Zanchetta, D et. al.. (2006). Plano de Manejo Integrado das Estações Ecológica e Experimental de Itirapina. São Paulo: Instituto Florestal. 318 p.

Zenid, GJ (2007). Madeiras e suas características. In: Oliveira, JTS, Fiedler, NC, Nogueira, M (Ed.). Tecnologías aplicadas ao setor madeireiro. Jerônimo Monteiro: Suprema Gráfica e Editora Ltda, p. 129-163.

Published

2021-01-13