Relações Comerciais entre Brasil e China a Partir dos Anos 2000: Uma Análise do Conteúdo Tecnológico

Antônio Fernando Costa Pella

Resumo


Este trabalho analisa as características do conteúdo tecnológico do comércio sino-brasileiro. A especialização brasileira em setores de produção de bens de baixo conteúdo tecnológico se intensifica no mesmo período em que o comércio entre Brasil e China cresce, ou seja, a partir dos anos 2000. Ao contrário do Brasil, o país oriental buscou uma política de desenvolvimento e de inovação capitaneada pelo Estado chinês. Consequentemente, o Brasil tem que ceder muito mais produtos para fazer frente às exportações chinesas para o Brasil. O resultado é uma grande lacuna nos termos de troca em favor da China.

Palavras-chave


inovação, conteúdo tecnológico, balança comercial

Texto completo:

HTML PDF

Referências


ARAÚJO, Bruno C. Políticas de Inovação no Brasil e na China no Século XXI. Brasília: IPEA, 2013.

BEKERMAN, M.; DULCICH, F; MONCAUT, N. Transformações Recentes da Economia Chinesa: impacto sobre suas relações comerciais com a América Latina. Revista Tempo do Mundo, vol. 5, nº1, p. 5-43, abril, 2013.

BRASIL. Dados do Comércio Exterior. Ministério do Desenvolvimento, da Indústria e Comércio Exterior. Disponível em: http://www.mdic.gov.br/comercio-exterior/estatisticas-de-comercio-exterior. Acesso em: nov. 2016.

CARVALHO, L.; AVELLAR, A. P. M. Inovação e Capacidade Exportadora: Evidências para Empresas Brasileiras. In: Encontro Nacional de Economia, 2015, Florianópolis. 43º Encontro Nacional de Economia - Anpec, 2015.

CUNHA, A. M.; BICHARA, J. S.; MONSUETO, S. E.; LELIS, M. T. C. Impactos da ascensão da China sobre a economia brasileira: comércio e convergência cíclica. Revista de Economia Contemporânea, 2011, vol.15, n.3, p.406-440.

DATHEIN, Ricardo. Teoria neoschumpeteriana e desenvolvimento econômico. In: Ricardo Dathein. (Org.). Desenvolvimentismo: o conceito, as bases teóricas e as políticas. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2015, v. 1, p. 193-222.

HERMIDA, C. C.; XAVIER, C. L. Competitividade da indústria brasileira no período recente: desempenho de categorias selecionadas a partir da taxonomia de Pavitt. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, 11 (2), p. 365-396, julho/dezembro 2012.

MASIERO, G.; COELHO, D. B. A política industrial chinesa como determinante de sua estratégia going global. Revista de Economia Política, vol. 34, nº 1 (134), p. 139-157, janeiro-março/2014.

MEDEIROS, Carlos A. Notas sobre o desenvolvimento econômico recente na China. In: O Papel de Hong Kong na modernização da China, 1997. Coleção documentos; Série Assuntos Internacionais. São Paulo, 1997. v. 50. p. 1-13.

MILARÉ, L. F. L.; DIEGUES, A. C. Contribuições da era Mao Tsé-Tung para a industrialização chinesa. Revista de Economia Contemporânea (Impresso) v. 16, p. 359-378, 2012.

NEGRI, F. Inovação Tecnológica e Exportações das Firmas Brasileiras. Anais do XXXIII Encontro Nacional de Economia – Anpec. Natal, 2005.

NONNENBERG, Marcelo J. B. Exportações e inovação: uma análise para América Latina e Sul-Sudeste da Ásia. Revista de Economia Política, vol. 33, nº 1 (130), p. 120-145, janeiro-março/2013.

OLIVEIRA, Fabricio. A. Schumpeter: a destruição criativa e a economia em movimento. Revista de História Econômica & Economia Regional Aplicada, Vol. 10, nº 16, Jan-Jun, 2014.

PEREIRA, Lia V. O Efeito China nas Exportações Brasileiras em Terceiros Mercados: uma análise do constant market share. Brasília: IPEA, 2014.

PEREIRA, W.; PORCILE, G. O conteúdo tecnológico do comércio internacional brasileiro no período recente (1989-2005). Economia & Tecnologia, Curitiba: v.3, n.8, 119-128, jan./mar. 2007.

PEREIRA, W.; PORCILE, G.; FURTADO, J. Competitividade internacional e tecnologia: uma análise da estrutura das exportações brasileiras. Economia e Sociedade. Campinas, v. 20, n. 3, Dec. 2011.

PEREIRA, Wellington S. Tecnologia e Comércio Internacional: exame das transações comerciais do brasil sob a perspectiva tecnológica. Dissertação de Mestrado (em Economia). Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2007.

RICARDO, David. Princípios de Economia Política e Tributação. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

SOARES, E.; CASTILHO, M. R. O Impacto das Importações Chinesas na Indústria Brasileira nos Anos 2000. In: 42° Encontro Nacional de Economia, 2014, Natal. Anais do 42° Encontro Nacional de Economia. Niterói: ANPEC, 2014.

U.S. BUREAU OF LABOR STATISTICS. Consumer Price Index. Disponível em: http://www.bls.gov/bls/newsrels.htm#OPLC Acesso em: maio/2016.

UNCTAD (2014, 2013, 2012, 2011, 2010, 2009, 2008, 2007) Handbook of Statistics, United Nations.

VIEIRA, Rosele M. Teorias da firma e inovação: um enfoque neo-schumpeteriano. In: IV ENCONTRO DE ECONOMIA CATARINENSE: A Retomada do Planejamento construindo uma agenda regional e nacional, 2010, Criciúma-SC. Encontro de Economia Catarinense, 2010.

VILLELA, Eduardo V. M. As relações comerciais entre Brasil e China e as possibilidades de crescimento e diversificação das exportações de produtos brasileiros ao mercado consumidor chinês. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica, 2003.

WAGNER, Ingrid M. Estudo do Perfil Tecnológico do Comércio Exterior Brasileiro. Monografia de graduação em Ciências Econômicas. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.19093/7389

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Este periódico está indexado nas bases: 

    

 

Revista de Estudos Sociais

Universidade Federal de Mato Grosso/Cuiabá-MT/Brasil

Faculdade de Economia

Boa Esperança, Cuiabá-MT. CEP: 78.060-900

Telefone:(65)3615.8522 – RAMAL:203

Email: ufmt.fe.res@gmail.com