Utilização do Ozônio no Tratamento Pós-Colheita do Tomate (Lycopersicon esculentum Mill)

Rogério Simão, Tomás Daniel Menéndez Rodríguez

Resumo


O armazenamento de hortaliças no período pós-colheita é fator preocupante na logística de produtos perecíveis no ramo do agronegócio. Este artigo tem como objetivo mostrar o emprego do gás Ozônio (O3) para o aumento de vida de prateleira de frutos de tomate a fim de mantê-los adequados por mais tempo para a comercialização. Exemplares da cultivar Débora foram tratados com 1 ppm (vol/vol) de Ozônio durante 24 horas a 25°C e 65% de umidade relativa. Qualidades físicas como perda de massa, estádio de maturação, injúria e senescência foram avaliadas após 15 dias de armazenamento. Comparados com uma amostra de controle, os frutos tratados com Ozônio apresentaram menos perda de massa, menor porcentagem de injúrias causada por fungos e maior retardamento no apodrecimento, mas pouca diferença quanto ao nível de maturação.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Este periódico está indexado nas bases: 

    

 

Revista de Estudos Sociais

Universidade Federal de Mato Grosso/Cuiabá-MT/Brasil

Faculdade de Economia

Boa Esperança, Cuiabá-MT. CEP: 78.060-900

Telefone:(65)3615.8522 – RAMAL:203

Email: ufmt.fe.res@gmail.com