Literatura de testemunho: o caso de Jorge Semprún

Autores

  • Marcia Romero Marçal elisarmoreira@gmail.com

Resumo

O presente artigo tem como objetivo apresentar a literatura de Jorge Semprún inserida no âmbito da discussão sobre a forma do testemunho literário, sobretudo aquele que diz respeito aos campos de concentração nazistas. Para tanto, examina a discussão em torno da teoria da literatura de testemunho, defendendo a tese de que essa forma literária pode ser entendida a partir da noção de precariedade, aplicada, sobretudo, às obras de Semprún pertencentes ao ciclo de Buchenwald. Propõe, ainda, uma breve exposição da fortuna crítica do autor, que ressalta as principais linhas interpretativas de sua obra testemunhal, especialmente La escritura o la vida, com relação às diferentes classificações de que é objeto, o que aponta para a configuração de uma obra aberta.

Palavras-chave: Literatura de Testemunho, Jorge Semprún, La escritura o la vida.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Lo que queda de Auschwitz. El archivo y el testigo. Homo Sacer III. Trad. Antonio Gimeno Cuspinera. Valencia: Pre-Textos, 2000.

AGAMBEN, Giorgio. O poder soberano e a vida nua I. Trad. Henrique Burigo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

AGUADO, Txetxu. Memory, Politics, and Post-national Citizenship in Jorge Semprún's L'Ecriture ou la vie. Hispanic Research Journal: Iberian and Latin American Studies, Londres, v. 3, n. 6, p. 237-251, Oct. 2005.

AMORÓS, Andrés. Introducción a la novela contemporánea. Madrid: Ediciones Cátedra, 1989.

APPELFELD, Aharon. Depois do Holocausto. Cadernos de Língua e Literatura Hebraica, São Paulo, n. 2, p. 81-91, 1999.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DE MARCO, Valeria. La escritura o la vida: la imposibilidad de ver. 2001. p. 1-32. (Mimeo)

DE MARCO, Valeria. Campo francés: Max Aub y la literatura de testimonio. Quaderni di Dipartimento di Linguística - Serie Letteratura 9 Rende, v. 21, p. 55-68, 2002.

DE MARCO, Valeria. A literatura de testemunho e a violência de Estado. Lua nova, São Paulo, n. 62, p. 45-68, 2004.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Palavras para Hurbinek. In: NESTROVSKI, Arthur; SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). Catástrofe e representação. São Paulo: Escuta, 2000. p. 99-110.

FELMAN, Shoshana. Educação e crise, ou as vicissitudes do ensino. Pulsional Revista de Psicanálise, ano XI-XII, n. 116-117, p. 9-48, dez.1998/jan.1999.

FERRÁN, Ofelia. “El largo viaje” del exilio: Jorge Semprún. In: SOLER, Manuel Aznar (Ed.) El exilio literario español de 1939. v. 2. Barcelona: Grup d’Estudis de l’Exili Literari/Departament de Filologia Espanyola/Universitat Autònoma de Barcelona (GEXEL), 1998. p. 107-115.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda (Ed.). Novo dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

HARTMAN, Geoffrey. Holocausto, testemunho, arte e trauma. In: NESTROVSKI, Arthur; SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). Catástrofe e representação. São Paulo: Escuta, 2000. p. 207-235.

HOWE, Irving. A escrita e o holocausto. Cadernos de língua e literatura hebraica, São Paulo, n. 2, p. 11-37, 1999.

ILLESCAS, Raúl. Jorge Semprún: La escritura o la vida. Holocausto y literatura. In: LEMER, Isaías; NIVAL, Robert; ALOSO, Alejandro (Ed.). Actas del XIV Congreso de la Asociación Internacional de Hispanistas, III: Literatura española, siglos XVIII - XX. Newark, De: Cuesta, 2004. p. 315-322.

LOUREIRO, Angel G. Semprún: Memorial de ausencias. Cuadernos Hispanoamericanos, Madrid, n. 617, p. 21-29, nov. 2001.

MARÇAL, Marcia Romero. Jorge Semprún: forma precária e literatura de testemunho. 2009. Tese (Doutorado em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

NESTROVSKI, Arthur; SELIGMAN-SILVA, Márcio. Apresentação. In: NESTROVSKI, Arthur; SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). Catástrofe e representação. São Paulo, Escuta, 2000. p. 7-12.

NIETO, Felipe. La “resurrección” de Jorge Semprún: El regreso de Buchenwald. Revista de Occidente, n. 266-267, p. 205-215, jul./ago.2003.

ROSENFELD, Anatol. Reflexões sobre o romance moderno. In: ROSENFELD, Anatol. Texto/Contexto I. São Paulo: Perspectiva, 1996. p. 75-97.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. A história como trauma. In: NESTROVSKI, Arthur; SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). Catástrofe e representação. São Paulo: Escuta, 2000. p. 73-99.

Downloads

Publicado

2019-07-16

Como Citar

MARÇAL, M. R. Literatura de testemunho: o caso de Jorge Semprún. Polifonia, [S. l.], v. 26, n. 42, p. 132–153, 2019. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/8644. Acesso em: 12 jun. 2024.