Critical literacy for difference: teachers’ perceptions of the english language curriculum in Brazil

Autores

  • Dánie Marcelo de Jesus atendimentoeditorasustentavel@gmail.com
    Editora Sustentável

Palavras-chave:

Letramento crítico, diversidade, formação de professor

Resumo

Esta pesquisa investiga a percepção de professores brasileiros sobre o currículo de língua inglesa, nos cursos de graduação, relacionado à questão de diversidade, bem como o caminho que eles negociam com esta questão no seu cotidiano. Os dados foram analisados pela lente do letramento crítico. O estudo envolve o uso de questionário aberto aplicado a vinte três professores educadores de língua inglesa. Dentro de uma metodologia interpretativista, a análise identificou percepções que emergiram da resposta dos participantes.  Os dados sugerem que o currículo de ensino de língua inglesa foca ainda o conteúdo. Professores acreditam que eles não foram adequadamente preparados para lidar com a diversidade no contexto educacional, porém alguns tratam deste tópico intuitivamente (gênero/etnicidade). Outros já discutem diversidades com seus alunos para aumentar a consciência deles sobre diferenças culturais. Este estudo apresenta algumas implicações para o uso da perspectiva do letramento crítico para a formação de professores, e ressalta a necessidade de revisão dos programas de ensino de língua inglesa no ensino superior para abranger questões relacionadas com a diversidade. 

 

Referências

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Trad. Fernando Tomaz, 16. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989/2012.

BRYDON, D. Local needs, global contexts: learning new literacies. In MACIEL, R.F & ARAUJO, V.A (Org.). Formação de professores de línguas: ampliando perspectivas. Jundiaí: Paco editora, 2011, p.93-109.

CASTELLS, M. A Galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Trad. Maria L.X. de A.Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

COPE, B & KALANTZIS, M (ed.). Multiliteracies: literacy learning and the design of social futures. Oxon: Routledge, 2000, p.121-152.

ERICKSON, F. Qualitative methods in research on teaching. Handbook of the research on teaching. 3d edition. M. WITTROCK, ed. New York: Macmillan, 1986-1990.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Trad. Izabel Guimarães. Brasília: Editora da UNB, 1992/2001.

FREIRE, P. Pedagogy of the oppressed. New York, NY: Continuum, 1970.

JESUS, D. M. Teachers representations about gender and diversities in an online discussion forum. Interdisciplinar: Revista de Estudos em Língua e Literatura, v. 19, p. 129-142, 2013.

JESUS, D. M. . Gender and language teacher education in a Brazilian context. Polifonia (UFMT), v. 19, p. 153, 2012.

KALANTZIS, M. & COPE, B. On globalisation and diversity. Computers and composition, Vol. 23, No. 4, 2006, p.402-411.

KALANTZIS, M. & COPE, B. New learning: a charter for change in education. In: Critical Studies in Education, 53(1), 2012, p.83-94.

KALANTZIS, M. & COPE, B. Literacies. Cambridge University Press: Cambridge UK, 2012.

KLEIMAN, A.B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, A.B (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995, p.15-64.

KLEIMAN, A.B.; MORAES, S.E. Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola. Campinas: Mercado de Letras, 1999.

LANKSHEAR, C & KNOBEL, M. New literacies: everyday practices & classroom learning. England: Open University Press, 2006.

LEMKE, J.L. Identity, development and desire: critical questions. In: CALDAS-COULTHARD, C. & IEDEMA, R (Ed.). Critical discourse and contested identities. Palgrave Macmillan, 2010.

MENEZES DE SOUSA, L.M.T. Para uma redefinição de letramento crítico: conflito e produção de significação. In: MACIEL, R.F & ARAUJO, V.A (Org.). Formação de professores de línguas: ampliando perspectivas. Jundiaí: Paco Editora, 2011, p.128-140.

MENEZES DE SOUSA, L.M.T & ANDREOTTI, V. Learning to read the world through other eyes. 1.ed. Derby, Inglaterra: Global Education, Derby, 2008.v.1.

MONTE MOR, W. Critical literacies in the Brazilian university and in the elementary/secondary schools: the dialectics between the global and the local. In: MACIEL, R.F & ARAUJO, V.A (Org.). Formação de professores de línguas: ampliando perspectivas. Jundiaí: Paco editora, 2011, p.307-318.

MONTE MOR. Linguagem digital e interpretação: perspectivas epistemológicas. In: ______. Trabalhos em Linguística Aplicada. Campinas, 46(1): jan./jun. 2007, p. 31-44.

MONTE MOR. Eu e o outro: imagens refletidas. Um estudo sobre identidade e alteridade na percepção das culturas. In: ______. Interfaces n. 8. Rio Grande: FURG/ABECAN, 2008, p. 161-180.

MOITA LOPES, L.P (Org.). Discursos de identidades: discurso como espaço de construção de gênero, sexualidade, raça, idade e profissão na escola e na família. Campinas: Mercado de Letras, 2003.

SILVA, S. B. Da técnica à crítica: contribuição dos novos letramentos para formação de professores de língua inglesa, 2011. Tese de doutorado (Estudos Linguísticos e Literários em Inglês) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

INNEY, K.L.Teacher’s perceptions and realizations of critical literacy: tensions and learning through Critical Discourse Analysis, 2012.Unpublished dissertation. Wayne State University, Detroit, Michigan, 2014.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

JESUS, D. M. de. Critical literacy for difference: teachers’ perceptions of the english language curriculum in Brazil. Polifonia, [S. l.], v. 23, n. 33, p. 184–202, 2016. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/3867. Acesso em: 13 jul. 2024.