CHAMADA ABERTA

2020-08-05

Polifonia Vol. 28, n. 49 (2021)

Dossiê “Jornada virtual internacional 30 anos sem Manuel Puig / 30 años sin Manuel Puig”

Organização:

Prof. Dr. Henrique de Oliveira Lee (UFMT)

Profa. Dra. Júlia Romero (Universidad Nacional de La Plata-Argentina)

Jornada virtual internacional 30 anos sem Manuel Puig / 30 años sin Manuel Puig é um evento virtual, com transmissão e realização em tempo real, que será realizado no dia 22 de julho de 2020. A proposta da jornada é estabelecer um espaço para reflexão e debate acerca da literatura do escritor argentino Manuel Puig (1932-1990), fomentando um diálogo amplo e inédito entre vários pesquisadores, brasileiros e estrangeiros, que atuam em diversas instituições acadêmico-científicas do Brasil, da Argentina, da Colômbia, da França e dos Estados Unidos. 

Além da reunião dos pesquisadores, a jornada busca, ainda, o desenvolvimento de discussões sobre a literatura de Manuel Puig a partir de uma série de temas que permeiam a fortuna crítica produzida e publicada em diversos periódicos e livros ao longo dos últimos 50 anos. Nessa perspectiva, o temas atuam como tópicos que estabelecem a criação das mesas redondas que formam a jornada: Manuel Puig – estéticas e políticas, nas quais sistemas estéticos de comunicação de massa, como o kitsch, o camp, a pop art e o melodrama extrapolam, na literatura puiguiana, a condição de produtos descartáveis ou dispensáveis e adquirem consistência e valor, seja na representação dos personagens, seja na conformação de uma estrutura sobre a qual repousam seus textos; Manuel Puig – identidades e subjetividades, temática que abrange discussões a respeito das condições psicológicas, psicanalíticas, identitárias e conformadoras das vozes de seus personagens, que suplantam – mediante as estratégias narrativas de Puig – a presença de narradores, conformando mais uma estratégia cara à literatura puiguiana; e Manuel Puig – as palavras e as imagens, na qual pesquisadores apresentarão trabalhos que explicitam o amplo diálogo intersemiótico que o escritor argentino instaurava entre o literário e outros sistemas de significação, como canções, teatro, fotonovelas e o cinema, o referencial midiático mais presente, tanto em sua literatura quanto mesmo em suas declarações pessoais, que constituem uma memória do cinema.

Obs: Este dossiê publicará as conferências proferidas durante a Jornada Virtual Internacional 30 anos sem Manuel Puig. A Polifonia aceita submissões em fluxo contínuo que, após avaliação Ad Hoc, entrarão neste número, na seção “Outros Lugares”.