Índice de Mobilidade Urbana Sustentável (IMUS) para os Aspectos Ambientais e Modos não Motorizados em Sinop-MT

Lucas João Boter Ferraz, Alexandra Marsaro Cella, Renata Mansuelo Alves Domingos, Emeli Lalesca Aparecida da Guarda, João Carlos Machado Sanches

Resumo


O conceito de mobilidade urbana tem influência direta nas populações das cidades. O Índice de Mobilidade Urbana Sustentável (IMUS) é uma ferramenta de avaliação e diagnostico dos aspectos de mobilidade, proposto com o intuito de abranger as diversas áreas que esse tema possui. O índice possui uma estrutura composta por domínios, temas e indicadores, permitindo em sua aplicação uma análise parcial. Nesta pesquisa, buscou-se aplicar em Sinop o IMUS de maneira setorial sobre os domínios Aspectos Ambientais e Modos não Motorizados, que atingiram 40,7% e 40,5% da pontuação máxima, respectivamente. Esses números representam influências negativas na mobilidade urbana. O crescimento acentuado da frota de veículos motorizados, em ritmo muito acima do crescimento populacional e da implantação de obras de transportes reflete o desafio enfrentado atualmente no município, sendo necessárias soluções para que a tomada de ações seja efetiva. A partir dos resultados obtidos são feitas sugestões de melhorias para atender as exigências na área da mobilidade urbana, cada vez mais rígidas devido a sua crescente discussão.


Palavras-chave


mobilidade; sustentável; índice; ambiental

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA, Ivanilde Maria de Rezende. Aplicação do Índice de Mobilidade Urbana Sustentável (IMUS) em Goiânia. 2013. Dissertação (mestrado). 203f. Pós graduação em Desenvolvimento e Planejamento Territorial, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, 2013.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS. Vendas Anuais de Etanol Hidratado e Derivados de Petróleo por município. Planilhas. 2013. Disponível em:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10151: acústica – avaliação do ruído em áreas habitadas, visando o conforto da comunidade – procedimento. Rio de Janeiro, 2000.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTES PÚBLICOS. Sistema de Informações da Mobilidade Urbana da ANTP: relatório final 2013. São Paulo, 2015. Relatório.

ASSUNÇÃO, M. A. D. Indicadores de mobilidade urbana sustentável para a cidade de Uberlândia, MG. 2012. Dissertação (mestrado). 148f. Pós graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Uberlândia, 2012.

BERRETTINI, R.; SILVA, A. N. R. e SILVEIRA, A. Levantamento do Nível de Ruído dos Veículos nas Proximidades da Avenida São Carlos: Utilizando um SIG para Avaliar Níveis de Ruído de Tráfego em uma Cidade Média. In: COBRAC - Congresso Brasileiro de Cadastro Técnico Multifinalitário, 1998, Florianópolis. Anais ... Florianópolis: UFSC, 1998.

BRASIL. Lei n° 12.587, de 3 de janeiro de 2012. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana e dá outras providências. Casa Civil, Brasília, DF, 3 jan. 2012.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. Emissões veiculares no estado de São Paulo 2014. São Paulo, 2014. Relatório. Disponível em:

COSTA, Marcela da Silva. Um Índice de Mobilidade Urbana Sustentável. 2008. Tese (Doutorado). 274f. Pós graduação em Engenharia Civil, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2008.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO. Frota de Veículos – Quantidade de veículos por município (Dezembro de 2014). Planilhas. 2014. Disponível em:

MORAES, João Maria de. Transporte coletivo e sustentabilidade – Empresa de ônibus Rosa LTDA. Entrevista. Sinop, 2015.

EUROPA. Sínteses da legislação da UE. Proposta COM/2007/0856. Disponível em: .

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sinopse do censo 2010 – Densidade demográfica preliminar (hab/km²). Disponível em:

_____. Estimativas de população para 1° de julho de 2013. Disponível em:

_____. Estimativas de população para 1° de julho de 2014. Disponível em:

¬¬¬¬MCIDADES. Política Nacional de Mobilidade Urbana Sustentável. Brasília: Ministério das Cidades. Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana (SeMOB), 2004.

MENDONÇA, A.B.D; SURIANO, T.M; SOUZA, L.C.L; VIVIANI, E. MEDIÇÕES ACÚSTICAS: variação da geometria da via urbana e tempo de amostragem. In: III SIMPGEU – Simpósio de pós graduação em Engenharia Urbana, 2012. Anais ... Maringá: UEM, 2012.

MIRANDA, Hellem de Freitas. Mobilidade urbana sustentável e o caso de Curitiba. 2010. Dissertação (mestrado). 160f. Pós graduação em Engenharia de Transportes, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, 2010.

MORAIS, Talita Caetano de. Avaliação e seleção de alternativas para promoção da mobilidade urbana sustentável - o caso de Anápolis, Goiás.2012. Dissertação (mestrado). 141f. Pós graduação em Engenharia Civil, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, 2012.

NETO, N. C.; ROZA, A. E. D. Análise de nível de serviço e geometria de rótula urbana no município de Sinop-MT. Sinop, MT: Universidade do Estado de Mato Grosso, 2015.

PONTES, Taís Furtado. Avaliação da mobilidade urbana na área metropolitana de Brasília. 2010. Dissertação (mestrado). 250f. Pós graduação em Arquitetura e Urbanismo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília, 2010.

FERRI, R. C. R. Entrevista com a Secretária de Meio Ambiente (gestora) Rosimari Cristina Ribeiro Ferri. Entrevista. 2015.

FRANKE, I. M. Entrevista com a Secretária de Trânsito (gestora) Ivete Mallmann Franke. Entrevista. 2015.




DOI: https://doi.org/10.18607/ES2020910059

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Indexadores, Base de Dados e Repositórios:
 
 
 
 
Contador de visitas

Contador de Acessos/Access Counter

 

Creative Commons License
Os trabalhos dessa revista são licenciados com a certificação Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

ISSN: 2358-5390