Povos ancestrais, América do Sul e Caribe: epistemologias e poéticas visuais na formação de engenheiros

Janina Mirtha Gladys Moquillaza SANCHEZ

Resumo


Objetivos desta reflexão: tornar conhecidas epistemologias e estéticas visuais de povos ancestrais da América do Sul e Caribe, visando re-escrever a história da Engenharia dessa parte do mundo; oferecer imagens de soluções dadas a problemas de engenharia e arquitetura, demonstrando a importância epistemológica e estética para a condição humana. Com base teórica em Bachelard (2006), teoria e metodologia mitohermenêutica, analisa-se o trajeto antropológico e ao mesmo tempo mudança epistemológica de alunos, pela construção de projeto de pesquisa. Concluindo, questiona-se o fato do Brasil jamais ter considerado necessário a população não indígena aprender epistemologias e estéticas ancestrais. Propõe-se a criar Rede de Conhecimentos. Palavras-chave: Epistemologia de Povos Ancestrais. América do Sul e Caribe. Formação em Engenharia. Rede de Conhecimentos.

Palavras-chave


Epistemologia de Povos Ancestrais. América do Sul e Caribe. Formação em Engenharia. Rede de Conhecimentos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, M. Z. (Org.) Mitologia simbólica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

ANDRADE, F. P. D. A construção de edifícios. In: VARGAS, M. Contribuições para a história da engenharia no Brasil. São Paulo: EDUSP, 1994.

BACHELARD, Gaston. A epistemologia. Tradução de F. L. Godinho e M. C. Oliveira. Lisboa: Ed. 70, 2006. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2017.

BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia grega. 17. ed. Petrópolis: Vozes, 2010. v. III

BRASIL. MEC. Resolução CNE/CES no. 11, de 11 de março de 2002. Art. 1o. – 4o. Formação de engenheiros. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2017.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. Introdução à arquetipologia geral. Tradução de Hélder Godinho. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, M. História da sexualidade. O uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 2007. v. 2.

LEAL, Márcia Castro. México arqueológico. México: Monclem, 1995.

MACEDO, J. C. Culturas Prehispanicas del Perú. Lima: Grimanesa, 2005.

MACHADO, Patricia Inez da Silva et al. Mulheres graduadas em engenharia: um estudo de caso. Revista ADMpg Gestão Estratégica, Ponta Grossa, v. 8, n. 2, p. 35-43, 2015.

MENDONÇA, L. K.; NASCIMENTO, T. R. L. N.; SILVA, R. M. Mulheres na engenharia: desafios encontrados desde a universidade até o chão da fábrica na engenharia de produção, na Paraíba. In: REDOR, 18., 2014, Recife. Anais... Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2014. p. 3503-3511.

MORIN, Edgar. Reformar o pensamento. A cabeça bem feita. Tradução de Ana P. de Viveiros. Lisboa: Instituto Piaget, 2002.

PEREZ, M. P. Espaço-tempo e ancestralidade na educação ameríndia: desdobramentos de Paulo Freire na província de Chimborazo, Equador. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - FEUSP, 2008.

PEREZ, M. P. Estudios de lo imaginario: Orígenes y trayectos. Praxis & Saber, UPTC, Tunja, Colombia, v. 4, n. 8, p. 135- 156, 2013.

SANTOS, Marcos Ferreira. O crepúsculo do mito: mitohermenêutica e antropologia da educação em Euskal Herria e Ameríndia. Relatório de pesquisa (Livre Docência) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2003.

SANCHEZ, J. M. Currículo e filosofia nativa. In: CASALI, A.; CASTILHO, S. D. de (Org.). Diversidade na Educação: implicações curriculares. São Paulo: EDUC, 2016. v. 1. 224 p.

SANCHEZ, J. M. Direitos da Natureza. Epistemologia e escolha. Encontro Internacional Direitos Culturais, 1., UNIFOR, Fortaleza, set. 2012.

SANCHEZ, J. M. La poética de bien-vivir y derechos de la naturaleza: Sumak Kawsay. France, Versailles: Il Volantino Europeo, 34. Oct 2011, p. 23-29.

SANCHEZ, J. M. Contact and ressentment are challenges to education enhancement. Zurich: Stiftung Szondi-Institut, p. 211-219, 2010.

SANCHEZ, J. M. Mitohermenêutica do feminino na antropologia da educação: interculturalidade Brasil-Perú. Relatório de pesquisa (Pós-Doutorado em Antnropologia da Educação)-. Universidade de São Paulo, FEUSP, 2010.

SANCHEZ, J. M. Currículo intercultural: a arte como sistema simbólico cultural na escola de branco. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP, São Paulo, 2006.

SILVA, Mayra Rachel. Canteiro de obras, lugar de mulher? Um estudo sobre relações de gênero e trabalho na construção civil em Fortaleza, CE. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas e Sociedade)- Universidade Estadual do Ceará, UECE, Fortaleza, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v27i65/2.6892

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


     
 
 

Fontes de Indexação:

        
 
 
 
R. Educ. Públ. Cuiabá:UFMT. Av. Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança. Cuiabá-MT, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, sala 02 térreo.. CEP: 78.060-900 – Telefone: (65) 3615-8466. Homepage: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica; E-Mail: rep@ufmt.br
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License
 
 
 

 

contador de visitantes Acessos

Design e editoração eletônica