Memórias e culturas afro-brasileiras na educação escolar: análise a partir da trajetória de uma professora quilombola

Osvaldo Martins de OLIVEIRA

Resumo


O artigo tem por objetivo analisar a trajetória de uma professora quilombola e suas experiências com a educação escolar. Ele se fundamenta nos conceitos de quilombo e grupo étnico, e, metodologicamente, trabalha com trajetória e relatos de vida. Elabora breves considerações sobre o acesso à escrita por alguns negros no decorrer do século XIX. Descreve nos anos recentes os contatos do pesquisador com professores quilombolas, enfatizando suas colaborações para o livro e vídeo-documentário didáticos. Na última parte, analisa a trajetória e as experiências da professora Olindina no campo da educação e da militância política.

 

Palavras-chave: Quilombos. Escrita. Educação. Professores.


Palavras-chave


Quilombos. Escrita. Educação. Professores.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA - ABA. Documento do Grupo de Trabalho sobre Comunidades Negras Rurais. Boletim Informativo NUER, Florianópolis, v. 1, n. 1, 1994.

BARTH, Fredrik. O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2000.

BARTH, Fredrik. Introdução. In: BARTH, Fredrik (Comp.). Los grupos étnicos y sus fronteras. La organizaçión social de las diferencias culturales. México: Fondo de cultura económica, 1969.

BERTAUX, Daniel. Narrativas de vidas: a pesquisa e seus métodos. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Morais; AMADO, Janaina. Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 1998. p. 183-191.

BRASIL. Presidência da República. Decreto 6.040, de 07 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais do Brasil. Brasília, DF: D.O.U., 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Brasília, DF: D.O. U., Seção 1, p.1, 10 jan., 2003.

DEBERT, Guita. “Problemas relativos a utilização da história de vida e história oral”. In: CARDOSO, Ruth. A aventura antropológica. Paz e Terra: Rio de Janeiro, 1986.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande e Senzala. 12 ed. Brasília, DF: Editora da UNB, 1963.

GONDRA, José Gonçalves; SCHUELER, Alessandra. Educação, poder e sociedade no Império Brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

LAPLANTINE, François. Aprender Antropologia. São Paulo: Brasiliense, 1988.

LIMA, Dulcilei da Conceição. Desvendando Luiza Mahin: um mito libertário no cerne do feminismo negro. Dissertação (Mestrado em Educação)- Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2011.

MOURA, Clóvis. História do negro brasileiro. São Paulo: Ática, 1989.

MUNANGA, Kabengele. Origem histórica do quilombo na África. Revista USP, São Paulo, n. 28, p. 56-63, dez.-fev., 1995.

NASCIMENTO, Abdias. Quilombismo: documentos da militância pan-africanista. Petrópolis: Vozes, 1980.

NASCIMENTO, Olindina Serafim. Entrevista concedida a Osvaldo Martins de Oliveira. São Mateus (ES), 13 de julho de 2017.

OLIVEIRA, Osvaldo Martins de; RODRIGUES, Luiz Henrique Rodrigues. Quilombolas e transmissão cultural do jongo na comunidade de São Cristóvão, São Mateus (ES). In: OLIVEIRA, Osvaldo Martins de (Org.). Direitos quilombolas & dever de Estado em 25 anos da Constituição Federal de 1988. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia, 2016. p. 159-169.

SILVA, Adriana Maria Paulo da. A escola de Pretextato dos Passos Silva: questões a respeito das práticas de escolarização no mundo escravista. Revista Brasileira de História da Educação, São Paulo, n. 4, p. 145-166, jul./dez. 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v27i65/2.6884

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


     
 
 

Fontes de Indexação:

        
 
 
 
R. Educ. Públ. Cuiabá:UFMT. Av. Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança. Cuiabá-MT, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, sala 02 térreo.. CEP: 78.060-900 – Telefone: (65) 3615-8466. Homepage: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica; E-Mail: rep@ufmt.br
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License
 
 
 

 

contador de visitantes Acessos

Design e editoração eletônica