Ações e reflexões de docentes e pesquisadores sobre a prática pedagógica com alunos com deficiência

Ana Paula de FREITAS, Maria Inês Bacellar MONTEIRO, Evani Andreatta Amaral CAMARGO

Resumo


Neste texto tem-se como objetivo identificar as dificuldades para lidar com alunos com deficiência, reveladas pelos professores, bem como analisar suas ações e reflexões sobre práticas pedagógicas. Toma-se como referência teórica e metodológica os pressupostos da perspectiva histórico-cultural. Baseando-se na pesquisa colaborativa, foram realizadas reuniões com docentes de uma escola pública. Nas análises, identificou-se duas unidades de análise: ações e reflexões dos professores e pesquisadores para ensinar alunos com deficiência e dificuldades reveladas pelos professores em suas práticas pedagógicas. Os resultados mostram o papel fundamental da reflexão de professores e pesquisadores sobre as ações pedagógicas para o ensino de alunos com deficiência.

Palavras-Chave: Formação Docente. Educação Inclusiva. Pesquisa Colaborativa. Alunos com Deficiência.


Palavras-chave


Formação Docente. Relações de Ensino. Educação Inclusiva. Pesquisa Colaborativa.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, L. A. Conhecendo a deficiência (em companhia de Hércules). São Paulo: Robe Editorial, 1995.

BRASIL. Programa de Formação Continuada de Professores em Educação Especial. Brasília, DF: MEC, 2007a. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2016.

______.Formação Continuada à Distância de Professores para o Atendimento Educacional Especializado. Brasília, DF: SEESP/SEED/MEC. 2007b. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2016.

______. Ministério da Educação. Decreto lei n. 6571, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado, regulamenta o parágrafo único do art. 60 da lei n. 9394 de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao decreto n. 6253, de 13 de novembro de 2007. Disponível em:.Acesso em: 27 abr. 2015.

______. Ministério da Educação. Resolução n. 4, de 2 de outubro de 2009. Institui diretrizes operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Disponível em: .Acesso em: 27 abr. 2015.

______. Ministério da Educação. Decreto lei n. 7611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Disponível em:. Acesso em: 27 abr. 2015.

CABRAL, E. N .R.; MUNIZ, D. M. S. Práticas Colaborativas, reflexões sobre gramática e análise linguística no ensino de língua portuguesa. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 37., 2015, Florianópolis. Anais...2015. Florianópolis: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, ANPED, 2015.

CAMARGO, E. A. A.; MONTEIRO, M. I. B.; FREITAS, A. P. de. Trabalho docente no contexto da inclusão: formação continuada com enfoque colaborativo. Revista Educação PUC-Campinas. Campinas. v. 21, n. 1, jan./abr, 2016, p. 45-57. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2016.

CARVALHO, M. de F. Conhecimento e vida na escola: convivendo com as diferenças. Campinas: Autores Associados. Ijuí: Editora Unijuí, 2006.

DAINEZ, D. A inclusão escolar de crianças com deficiência mental: focalizando a noção de compensação na abordagem histórico-cultural. Dissertação (Mestrado em Educação)- Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, SP, 2009.

FERREIRA, M. C. C. Os movimentos possíveis e necessários para que uma escola faça a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. In: JESUS, D. M. de; BAPTISTA, C. R.; VICTOR, S. L. (Org.). Pesquisa e Educação Especial: mapeando produções. Vitória: EDUFES, 2006. p. 139-154.

FERREIRA, M. C. C. A educação escolar de alunos com deficiência intelectual pode se viabilizar na perspectiva do letramento? In: JESUS, D. M. de; BAPTISTA, C. R.; BARRETO, M. A. S. C.; VICTOR, S. L. (Org.). Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. Porto Alegre: Mediação. 2007. p. 101109.

FREITAS, A. P. de. Ações colaborativas: possibilidades de construção de conhecimentos sobre práticas de ensino. Série-Estudos, n. 36, jul./dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2014.

FREITAS; A. P.; MONTEIRO, M. I. B. (In)apropriações das práticas pedagógicas na educação de alunos com necessidades educacionais especiais. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 33., 2010, Caxambú. Anais...Caxambú: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, ANPED, 2010.

GARCIA, R. M. C. Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 52, jan./mar. 2013. Disponível em:. Acesso em: 21 abr. 2014. IBIAPINA, I.M.L.M. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília, DF: Líber Livro. 2008. 134 p.

JESUS, D. M. de. Vozes e narrativas na ação grupal: trajetórias de formação de professores-pesquisadores na perspectiva da inclusão escolar. In: JESUS, D. M. et al. (Org.). Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2009. p. 166-175.

KASSAR, M. K. M. Educação especial na perspectiva da educação inclusiva: desafios da implantação de uma política nacional. Educar em Revista, Curitiba, n. 41, jul./set. 2011. Disponível em:. Acesso em: 7 abr. 2015.

______. A formação de professores para a educação inclusiva e os possíveis impactos na escolarização de alunos com deficiências. Caderno Cedes, Campinas, v. 34, n. 93, maio/ago. p. 207-224, 2014.

MARTINS, L. M. O Desenvolvimento do Psiquismo e a Educação Escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia históricocrítica. Campinas: Autores Associados. 2013. 319 p.

MONTEIRO, M. I. B.; FREITAS, A. P. de. Processos de significação na elaboração de conhecimentos de alunos com necessidades educacionais especiais. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 1, mar. 2014. Disponível em:. Acesso em: 21 abr. 2014.

MONTREAL. Declaração Internacional de Montreal Sobre Inclusão. Aprovada em 5 de junho de 2001 pelo Congresso Internacional “ Sociedade Inclusiva”, realizado em Montreal, Quebec, Canadá. Disponível em:. Acesso em: 27 abr. 2015.

NOGUEIRA, A. L. H. Propostas pedagógicas como instrumentos técnicosemióticos: desenvolvimento cultural e construção da atividade docente. In: SMOLKA, A. L. B.; NOGUEIRA, A. L. H (Org.). Estudos na Perspectiva de Vigotski: gênese e emergência das funções psicológicas. Campinas: Mercado das Letras. 2013. p. 125-150.

PLETSCH, M. D. A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes políticas e resultados de pesquisas. Educar em Revista, Curitiba. n.33, 2009. Disponível em:.

Acesso em: 24 abr. 2015. SANCHES, I. Do ‘aprender para fazer’ao‘aprender fazendo’: as práticas de educação inclusiva na escola. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, n. 19, 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2015.

SAVIANI, D. Sobre a natureza e especificidade da educação. Em aberto, Brasília, DF, jul./ago. ano 3, n. 22, p. 1-6, 1984.

SAVIANI, D. A Pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas: Autores Associados. 2008. 259 p.

TOLEDO, E. H. de; VITALIANO, C. R. Formação de professores por meio de pesquisa colaborativa com vistas à inclusão de alunos com deficiência intelectual. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v. 18, n. 2, abr./jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2015.

UNESCO. Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Aprovada em junho de 1994 pela Conferência Mundial de Educação Especial, realizada em Salamanca, Espanha. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2015. VIGOTSKI, L. S. A Construção do Pensamento e da Linguagem. São Paulo: Martins Fontes. 2001. 496p.

VIGOTSKI, L. S. A Construção do Pensamento e da Linguagem. São Paulo: Martins Fontes. 2001. 496p.

______. A Formação Social da Mente. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes. 2007. 182 p. ______.Obras Escogidas III: Problemas Del desarrollo de la psique. Madrid: Visor. 1995. 383 p. ______. Obras Escogidas V: Fundamentos de defectologia. Madrid: Visor. 1997. 391 p.

ZEICHNER, K. M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade, Campinas, v. 29, n. 103, maio/ago. 2008. Disponível em:. Acesso em: 27 abr. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v26i61.3178

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


     
 
 

Fontes de Indexação:

        
 
 
 
R. Educ. Públ. Cuiabá:UFMT. Av. Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança. Cuiabá-MT, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, sala 02 térreo.. CEP: 78.060-900 – Telefone: (65) 3615-8466. Homepage: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica; E-Mail: rep@ufmt.br
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License
 
 
 

 

contador de visitantes Acessos

Design e editoração eletônica