Imprensa escrita e o imaginário sobre a violência escolar: um estudo a partir do jornal Folha de São Paulo

Joyce Mary ADAM

Resumo


O presente artigo objetiva analisar a forma com que a imprensa divulga a violência de jovens e a violência ocorrida na escola. Propõe-se analisar ocorrências noticiadas no jornal, a Folha de São Paulo, no início dos anos 2000, ano em que se percebe o aparecimento de um número significativo de artigos e pesquisas que enfocam a violência escolar. Adota-se como referencial teórico a Sociologia do Imaginário, discutida por diversos autores, como Castoriadis (1986), Legros et al. (2007) e Taylor (2006), buscando analisar o imaginário sobre a escola e as interações que se processam na instituição escolar e seu entorno, nas notícias veiculadas sobre violência escolar.

 

Palavras-chave: Violência Escolar. Produção de Sentidos. Imaginário Social. Imprensa Escrita.


Palavras-chave


violência escolar; produção de sentidos; imaginário social; imprensa escrita.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2000.

BAUMAN, Z.O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

BRAGHETO, A.; SASTRE, A. Violência afasta estudantes de escolas de periferia de Ribeirão. Folha de São Paulo. Folha Ribeirão, 12/01/2000, p. 01. Disponível em: . Acesso em jan. 2012.

CASTEL, R. As metamorfoses da Questão Social. 5. ed., Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2010.

CASTORIADIS, C. A Instituição Imaginária da Sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

CHARLOT, B. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, n. 8, p. 432-443, jul./dez. 2002.

DEBARBIEUX, E. A violência na escola francesa: 30 anos de construção social do objeto (1967-1997). Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n.1, p. 163-193, jan./jun. 2001.

DEVINE, J. A Mercantilização da Violência Escolar. In: DEBARBIEUX, E.; BLAYA, C. (Org.).Violência nas escolas e políticas públicas. Brasília, DF: UNESCO, 2002.

DUBET, F.; DURU-BELLAT,M. L’Hypocrisiescolaire. Pour um collège enfin Démocratique. Paris: Éditions Du Seuil, 2000.

FERNÁNDEZ VILLANUEVA, C. et al. Los espectadores ante laviolencia televisiva: funciones, efectos e interpretaciones situadas. Comunicación y Sociedad. Madri, v. XXI, n. 2, p. 85-113, 2008.

GRILO, C. Unesco pesquisa violência escolar. Folha de São Paulo, Cotidiano, 29 ago. 2000, p. C5. Disponível em: . Acesso em: mar. 2011.

FOLHA DE SÃO PAULO. Diretora muda rotina da escola. Caderno Cotidiano, 9 jul. 2000, p. C8. Disponível em: . Acesso em: fev. 2011.

LEGROS, P. et al. Sociologia do Imaginário. Porto Alegre: Sulina, 2007.

MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2003.

MUCCHIELLI, L. Notre Socieeté est-elleplus Violente? Revue Sciences Humaines. Les Grands Dossier, Paris, número 18 mars-avril, 2010. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2010.

NJAINE, K.; MINAYO, M. C. S. Análise do discurso da imprensa sobre rebeliões de jovens infratores em regime de privação de liberdade. Ciência & Saúde Coletiva. v. 7, n. 2, p. 285-297, 2002.

SENNET, R. La Cultura Del Nuevo Capitalismo. Barcelona: Editorial Anagrama, 2006. SILVA, J. B. Pesquisa da Udemo mostra que violência se estabiliza, mas ações das gangues preocupam. Folha de São Paulo, Folha Vale, 12 fev. 2000, p. 1. Disponível em: . Acesso em: fev. 2011.

SILVA, J. M. P.; SALLES, L. M. F. Imaginário, cultura global e violência escolar, Educação: Teoria e Prática, Rio Claro, v. 21, n. 36, jan./jun.2010.

SPOSITO, M. P. Um breve balanço da pesquisa sobre violência escolar no Brasil. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 1, jan./jun. 2001.

TAVARES DOS SANTOS, J. V. Violências e dilemas do controle social nas sociedades da “modernidade tardia”. Perspectiva, São Paulo, v. 18, n. 1, p. 3-12, mar. 2004. Disponível em: . Acesso em: 3 abr. 2011. TAYLOR, C. Imaginários Sociales Modernos. Barcelona: Paidós, 2006.

TOMICIOLI, A. R. Ribeirão soma 4 agressões em escola. Folha de São Paulo. Folha Ribeirão, 25 mar. 2000, p. 2. Disponivel em: . Acesso em: 20 jun. 2011.

TONDATO, M. P. Violência na mídia ou violência na sociedade? A leitura da violência na mídia. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 32, abr. 2007.

VELHO, G. Violência, reciprocidade e desigualdade. In: VELHO, G.; ALVITO, M. (Org.). Cidadania e violência. 2. ed. Rio de Janeiro: Editoras UFRJ/FGV, 2000. p. 11-25.

WACQUANT, L. Punir os pobres. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora REVAN, 2007. (Coleção Pensamento Criminológico, 6). ZALUAR, A.; LEAL, M. C. Violência extra e intramuros. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 16, n. 45, p. 145-164, fev. 2001.

ZALUAR, A.; LEAL, M. C. Violência extra e intramuros. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 16, n. 45, p. 145-164, fev. 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v26i61.2233

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


     
 
 

Fontes de Indexação:

        
 
 
 
R. Educ. Públ. Cuiabá:UFMT. Av. Fernando Corrêa da Costa, 2367, Boa Esperança. Cuiabá-MT, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, sala 02 térreo.. CEP: 78.060-900 – Telefone: (65) 3615-8466. Homepage: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica; E-Mail: rep@ufmt.br
 
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License
 
 
 

 

contador de visitantes Acessos

Design e editoração eletônica