CÂNCER DE PRÓSTATA: PERCEPÇÃO, RASTREAMENTO E PREVENÇÃO

Maiara Wiesentaine Wiesentainer, Claudinéia de Araújo, Eduardo Narvaes, Caíque de Rezende Oliveira, Franciane Rocha de Faria

Resumo


A educação em saúde, como ferramenta de prevenção ao Câncer de Próstata, através da percepção, rastreamento e prevenção da doença, busca tornar fácil e simples o acesso ao conhecimento acerca desta neoplasia, de modo a desmistificar estigmas, diminuir a morbimortalidade decorrente de diagnósticos tardios e tornar o homem agente principal e provedor da sua saúde. O projeto de extensão de que trata este artigo, foi desenvolvido durante o ano de 2016 pelos acadêmicos e uma equipe de docentes e profissionais do curso de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso, câmpus de Rondonópolis, com apoio da Prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde (SMS), sendo subsidiado por meios didáticos como panfletos, cartazes, camisetas temáticas, caixas de perguntas, palestras, entrevistas e criação de um website. Foram atingidos diretamente um total de 146 homens e observou-se que, além do desconhecimento do caráter assintomático da doença, o estigma acerca dos exames de rastreio ainda inviabiliza o diagnóstico precoce, necessitando assim, de medidas cada vez mais eficazes para se atingir de maneira direta o cuidado masculino relacionado ao câncer de Próstata.


Palavras-chave


Câncer de Próstata, Extensão Universitária, Prevenção, Detecção Precoce.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, V. S. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface- Comunic., Saúde, Educ. Botucatu, v.9, n.16, p. 39-52, 2005. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/icse/v9n16/v9n16a04.pdf. Acesso em: mar. 2017.

AMORIM, V. M. S. L. et al. Fatores associados a realização dos exames de rastreamento para o câncer de próstata: Um estudo de base populacional. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro, v.27, n.2, p.347-356, 2011. Disponível em: http: //www.scielosp.org/pdf/csp/v27n2/16.pdf. Acesso em: fev. 2017.

BACELAR JÚNIOR et al. Câncer de Próstata: métodos de diagnóstico, prevenção e tratamento. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research. Minas Gerais, v.10, n.3, p.40-46, 2015. Disponível em: http://www.mastereditora.com.br/periodico/20150501_174533.pdf. Acesso em: fev. 2017.

GUSSO, G.; LOPES, J. N. C. Tratado de Medicina e Família e Comunidade. Vol. 2. Porto Alegre: Artemed, 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. Estimativas 2016: Incidência de Câncer no Brasil. Rio de Janeiro. 2016. Disponível em: http://www.inca.gov.br/estimativa/2016/estimativa-2016-v11.pdf. Acesso em: jan. 2017.

JEMAL, A.; VINEIS, P.; BRAY, F.; TORRE, L.; FORMAN, D. The Cancer Atlas. Second Ed. Atlanta, GA: American Cancer Society, 2014. Disponível em: www. cancer.org/canceratlas. Acesso em: mar. 2017.

PAIVA, E. P. DE. Conhecimentos, atitudes e práticas acerca da detecção do câncer de próstata. 2008. Tese (Doutorado em enfermagem) - Escola de Enfermagem Anna Nery, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

RODRIGUES, R.; SALES, C. A. Aspectos epidemiológicos e diagnósticos do carcinoma prostático. Revista Saúde e Pesquisa. v.6, n.1, p.131-140, 2013. Disponível em: http://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/2620/1855. Acesso em: jan. 2017.

SOCIEDADADE BRASILEIRA DE UROLOGIA. Boletim da Urologia. Edição nº 3, 2015. Disponivel em: http://portaldaurologia.org.br/wp-content/uploads/2016/01/BODAU_ED3_2015_pub.pdf. Acesso em: mar. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Corixo - Revista de Extensão Universitária