Histórico do periódico

A Revista Corixo emerge do interesse da Coordenação de Extensão - vinculada a Pro Reitoria de Cultura Extensão e Vivência - da Universidade Federal de Mato Grosso em dar visibilidade as reflexões que emergiram das diversas experiências de aprendizagem pela via da extensão. A extensão tem se mostrado realidade materializada no conjunto de ações que, necessariamente se transversalizam no ensino e na pesquisa, e de forma particular, na Universidade Federal de Mato Grosso há mais de quatro décadas.

Ainda que as denominações das Pró Reitorias que a tenham contemplado ao longo da história da UFMT tenham sido modificadas: Pro Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis – PROACE; Pro Reitoria de Vivência Acadêmica e Social – PROVIVAS e Pro Reitoria de Cultura Extensão e Vivência - PROCEV, a extensão tem se mantido e se mostrado cada vez mais fortalecida, presente em áreas cada vez mais abrangentes,  assegurando qualidade e comprometimento ao ensino público e a pesquisa que se qualificam pelo compromisso efetivo com os diferentes sujeitos sociais que ocupam as diversificadas áreas do nosso estado, como: o pantanal e o cerrado, inundando com seus saberes e fazeres múltiplos e complementares.

Do nome Corixo

O nome Corixo surgiu da analogia entre o conhecimento produzido pela Extensão universitária com os canais interconectados do Pantanal mato-grossense, chamados Corixos.  Assim como os Corixos, a extensão universitária promove um elo entre a universidade e a comunidade, em um processo de troca de saberes e de retroalimentação. Nesse sentido, a capa desta primeira edição recebeu a imagem poética do pescador pantaneiro navegando por um Corixo, sob o olhar do fotógrafo José Medeiros.

A logo foi uma criação envolvendo todo o processo e finalizada da extensão universitária sob a criatividade de Luzo Reis.